terça-feira, 24 de julho de 2018

Vamos estudar: RISCO NO MEIO AMBIENTE LABORAL COMO UM DOS CRITÉRIOS DEFINIDORES DE MICROEMPRESAS E EMPRESAS DE PEQUENO PORTE PARA FINS DO …







[PDF] RISCO NO MEIO AMBIENTE LABORAL COMO UM DOS CRITÉRIOS DEFINIDORES DE MICROEMPRESAS E EMPRESAS DE PEQUENO PORTE PARA FINS DO …

R PEREIRA, E Dilnei - Revista Jurídica, 2018
… dispensado às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte no que tange à
fiscalização da implementação das Normas Regulamentadoras de Saúde e … eram
atualizados pelo índice oficial de atualização monetária …
Google+FacebookTwitter

[PDF] Educação Ambiental na Escola, Percepções de Educadores e Educandos: um Estudo de Caso na Escola Agrotécnica de Sumé-PB

I SANTOS, D VERAS - 2018
… ética e saúde a Educação Ambiental deve ser trabalhada de forma
interdisciplinar e … IV - a formação, especialização e atualização de
profissionais na área de meio … Ambiental, sempre considerando o ambiente …
Google+FacebookTwitter

Elastografia: Uma abordagem prática

RG Barr - 2018
Google+FacebookTwitter

JUÍZES GANHAM R $211 MI COM 'AUXÍLIOS'ATRASADOS

D Bramatti
… deputados. Auxílio-moradia, auxílio-alimentação e auxílio-saúde não são os únicos
itens a chamar a atenção nos contracheques dos juízes brasileiros … Na época, isso
equivalia a R$ 3 mil (R$ 9,2 mil em valores atualizados ). Em …
Google+FacebookTwitter

[PDF] O PAPEL DA EDUCAÇÃO E DA ESCOLA PARA A CONQUISTA DOS DIREITOS HUMANOS

MR Bartel - Revista Eletrônica de Direito da Faculdade Estácio do …, 2018
… Há parceiros possíveis? Por exemplo, há nas proximidades um posto de
saúde que possa atuar junto a escola, que possa haver parceria …
http://www.univem.edu.br/jornal/) … A escola tem o conhecimento especifico …
Google+FacebookTwitter

[PDF] Mídia e memória: o médico, o jornalismo impresso e a redução da maioridade penal

FC DA SILVA
… Devemos refletir se estamos garantindo aos nossos adolescentes o direito
à vida, à saúde, à alimentação, à … 13 A cobertura sobre o assassinato do
cardiologista Jaime Gold nos dois jornais … Pela questão de proximidade …
Google+FacebookTwitter

[PDF] A possibilidade legal de implementação do transplante renal pareado no Brasil

CL Antunes - 2018
… Em seguida, foram destacados os direitos à vida e à saúde como nortes
das legislações brasileiras … 15 1.1 DIREITOS FUNDAMENTAIS ..... 16
1.2 DIREITO À VIDA E DIREITO À SAÚDE ..... 21 …
Google+FacebookTwitter

[PDF] Plano de negócios: R. Gosuen automação de portaria

CM Gosuen - 2018
… Além disso, ainda há muitas pessoas que estão se mudando para condomínios fechados,
pois procuram mais segurança CONFORME DESTACA O Jornal Correio de Uberlândia
(2015). Gráfico 1 - PIB Total e PIB da Construção Civil - 2007 - 2014 10 Page 11 …
Google+FacebookTwitter

[PDF] “Efeito Hannah Baker”: breve abordagem do suicídio na cobertura jornalística e no entretenimento

L MARANHÃO, WB BELMONTE
… modas lançadas por novelas e nas discussões levantadas a partir de
matérias de jornais … A mesma posição do jornal de Recife foi adotada pela
mídia no geral, após a transmissão de um suicídio ao vivo pelo SBT … listas …
Google+FacebookTwitter

Por uma Bolsa democrática

R Magliano Filho - 2018
… Essencialmente, ela permitiu à bolsa de valores se manter atualizada frente a uma
tendência mundial das bolsas e, com isso, garantir uma competitividade e capilaridade
indispensáveis para que seus projetos (incluindo os sociais) tivessem continuidade …
Google+FacebookTwitter

MÃES NO LIMITE. MÃES QUE ROMPEM O SILÊNCIO

MÃES NO LIMITE. MÃES QUE ROMPEM O SILÊNCIO




CAMPINA GRANDE - Aos vinte e três de Julho de um ano marcado na memória / Rompendo barreiras. Mães rompem o silêncio e vão as ruas no Centro de Campina Grande, na praça da Bandeira, vieram reivindicar #UrgenciaDosDireitos que crianças rompem barreiras do desrespeito e demagogia de nossos representantes.

O limite. Mães rompem o silencio vem a publico pedir nada além do que é garantido.

Considerando que art. 5º da Constituição de Nosso País - Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade.

Considerando também o Estatuto da Pessoa com Deficiência de que no  Art. 9o  A pessoa com deficiência tem direito a receber atendimento prioritário. Que na linea VII - tramitação processual e procedimentos judiciais e administrativos em que for parte ou interessada, em todos os atos e diligências.

Considerando também que o Código Civil Brasileiro de que no Cap II Art. 949. No caso de lesão ou outra ofensa à saúde, o ofensor indenizará o ofendido das despesas do tratamento e dos lucros cessantes até ao fim da convalescença, além de algum outro prejuízo que o ofendido prove haver sofrido.



É Direito. Está garantido.

Aumento de VAGAS de leitos em UTI - Unidade Terapia Intensiva.

Medicamento - Keppra® / levetiracetam. Portaria GM/MS nº 1.555, de 30 de julho de 2013.

Medicamentos, órteses, próteses e outras tecnologias assistivas relativas ao tratamento - Art. 11 do Estatuto da Criança e do Adolescente - Lei 8069/90

Tratamento e transporte - A saúde é um direito fundamental do ser humano, devendo o Estado prover as condições indispensáveis ao seu pleno exercício. Lei nº 8.080 /90, artigo 2º , parágrafo 1º.
 Uma vez comprovada à necessidade de realização de tratamento em outro município, bem como a falta de recursos do doente, deve o município disponibilizar transporte para tratamento fora de domicílio ao seu administrado, nos termos da Portaria SAS/55 do Ministério da Saúde (Terceira Câmara Cível, TJMG).

Segurança no Transporte - Uso da Cadeirinha / A resolução nº 277/2008 do Conselho Nacional de Trânsito (CONTRAN) “A lei definiu que é obrigatório o usode dispositivos de retenção: bebê conforto, cadeirinha auxiliar ou assento de elevação”.


QUEM recusar, retardar ou dificultar internação ou deixar de prestar assistência médico-hospitalar e ambulatorial à pessoa com deficiência pode sofrer algo na Justiça??

Sim, considerando o Estatuto da Pessoa com Deficiência e a LEI Nº 7.853/89 no Art. 8o  Constitui crime punível com reclusão de 2 (dois) a 5 (cinco) anos e multa:
(...)
IV - recusar, retardar ou dificultar internação ou deixar de prestar assistência médico-hospitalar e ambulatorial à pessoa com deficiência .
§ 1o  Se o crime for praticado contra pessoa com deficiência menor de 18 (dezoito) anos, a pena é agravada em 1/3 (um terço).

Famílias com crianças com microcefalia Congênita do Zika Vírus, pedem justiça. Justiça #PelaUrgenciaDosDireitos




Mordidas de cães podem causar lesões graves nas pálpebras


 

15% dos ataques ocorrem na face e na maior parte dos casos vítimas são crianças

São Paulo, 24 de  julho de 2018 – Dizem por aí que os cães são os melhores amigos dos homens. E dados do Instituto Brasileiro e Geografia e Estatística (IBGE) comprovam que os brasileiros são mesmo apaixonados pelos animais de estimação.

Pelo cadastro de PETs, são 53 milhões de cães e 22 milhões de gatos. Entretanto, embora a convivência com os bichinhos seja benéfica, pode trazer alguns riscos, como mordidas e ataques. De acordo com um levantamento da Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo, as crianças entre 5 e 9 anos são as principais vítimas de mordidas de cães. O segundo grupo mais afetado é o de crianças entre 0 e 4 anos.

Instinto animal
A convivência com os cães pode ser muito benéfica para a criança, porém é preciso lembrar que o cão é um ser irracional e pode agir por instinto quando se sentir ameaçado de alguma forma.

Crianças são curiosas por natureza e quanto mais novas, menor a noção do que pode ser interpretado pelo animal como um carinho ou como uma ameaça. Elas podem apertar, puxar as orelhas, o rabo, etc. Cada animal tem sua própria personalidade e, com isso, pode ser impossível prever a reação do cão frente ao tratamento dado pela criança, por mais dócil que o animal seja.

Lesões podem ser graves
De acordo com Dra. Tatiana Nahas, Chefe do Serviço de Plástica Ocular da Santa Casa de São Paulo, a face é um dos locais mais afetados pelos ataques, justamente pela altura da criança.

“Uma mordida ou até mesmo um arranhão na região dos olhos pode ser muito grave. Entre as lesões que podem acontecer estão a laceração da córnea, lacerações que envolvem as margens das pálpebras e lacerações caniculares, que afetam os canais lacrimais. Dependendo da gravidade serão necessárias várias cirurgias plásticas reconstrutivas e, posteriormente, estéticas”, conta Dra. Tatiana. 

Há ainda outros riscos envolvidos em mordidas e arranhões de animais domésticos, como transmissão da raiva e infecção dos ferimentos.

“A infecção da lesão é o que mais preocupa, já que a saliva do animal é repleta de micro-organismos prejudiciais ao ser humano. Por isso, a primeira atitude é lavar o ferimento com água e sabão e em seguida procurar um pronto atendimento. O médico irá avaliar também se há necessidade de profilaxia antirrábica e antitetânica”, explica a médica.  

Como prevenir
  • Jamais deixe a criança se aproximar de um cão desconhecido na rua, no prédio, etc.
  • Caso o animal seja da família, sempre supervisione quando a criança for brincar com o ele. Lembrando que a maioria dos acidentes ocorrem com cães da família e não com cães de rua ou de outras pessoas
  • Vacine seu cão contra a raiva
  • Por mais dócil que o cão seja, lembre-se que é um ser irracional e pode interpretar um aperto ou puxão de rabo como uma ameaça e reagir
  • Ensine a criança que tipo de carinho o animal gosta e a ensine a respeitar o animal
  • Isole o animal no momento da alimentação, pois eles não gostam de ser incomodados quando comem
  • Pense em adestrar o animal para controlar melhor seu comportamento
  • Quando for comprar um cão, pesquise as raças mais adequadas e mais dóceis para crianças
 

Estudo mostra que o Brasil terá mais de 29 mil novos casos de câncer relacionados ao excesso de peso e as mulheres são as mais atingidas, com a fome Emocional


 
A diminuição do IMC poderia evitar pelo menos 15 mil casos de câncer, por ano, no Brasil

Que a obesidade é um dos grandes vilões da saúde, todo mundo já sabe. Porém, cada dia mais, surgem estudos e pesquisas com números alarmantes que relacionam o excesso de peso como um dos principais fatores para o aumento de casos de doenças graves como as cardiovasculares, insuficiência cardíaca, apneia do sono e vários tipos de câncer.

Segundo o estudo desenvolvido pelo Departamento de Medicina Preventiva da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, em colaboração com a Harvard University, nos Estados Unidos, mais de 15 mil casos de câncer, por ano, poderiam ter sido evitados no país se não fosse a obesidade da população.

A pesquisa feita por cientistas brasileiros, americanos e franceses, possuem estimativas ainda piores para o futuro. Até 2025, o Brasil terá mais de 29 mil novos casos de câncer relacionados ao excesso de peso. As mulheres são as mais atingidas, não apenas por serem o público com maior índice de IMC elevado, mas também por serem as mais afetadas pelos tumores de ovário, útero e câncer de mama, que também tem ligação com o sobrepeso.

Apesar de todos os problemas físicos, emocionais e sociais que a obesidade pode trazer para a vida de uma pessoa, um em cada cinco brasileiros são atingidos por ela. Para a psicoterapeuta Sorella Mendes, é preciso que as pessoas encarem obesidade como uma doença que necessita de tratamento, só assim será possível mudar esse cenário preocupante.

“Uma das principais queixas que escuto de minhas pacientes que enfrentam uma batalha diária para tentar eliminar peso é sobre a necessidade que sentem de comer, sem realmente estarem com fome. Na psicoterapia, tratamos essa fome como uma compulsão alimentar e a chamamos de fome emocional”, afirma Sorella, que idealizou o Projeto Mente Magra.

De acordo com Sorella, existem quatro tipos de fome, a fisiológica, a social, a específica ou vontade e, por fim, a emocional. É importante identificar qual fome atinge cada pessoa para assim conseguir tratar o transtorno alimentar.

Fome fisiológica x fome psicológica

A fome fisiológica é a fome celular, aquela que organismo precisa receber alimentos para sobreviver. A fome real do corpo que não exige um alimento específico, mas que é saciada por qualquer alimento. Quando estamos realmente com fome, o corpo avisa dando sinais como aquele vazio ou dor no estômago, dores de cabeça e até mesmo irritação. Você sabe que precisa comer, para não passar mal ou ficar indisposta.

Já as outras três fomes existentes são de fundo emocional, que podem sabotar a mente humana fazendo com que o indivíduo coma por emoção, por momento ou por desejo. Sem o autocontrole, essas fomes emocionais podem levar a compulsão alimentar, uma das principais causas da obesidade ou do sobrepeso.

A primeira, e sem grandes problemas quando a pessoa já desenvolveu o autocontrole alimentar, é a fome social. Aquela despertada em eventos e comemorações. Momentos agradáveis em que nos reunimos com amigos e familiares para jogar conversar fora e comer os alimentos disponíveis no momento. Apesar de as vezes exageramos, quando é algo esporádico ou planejado, não chega a prejudicar.

A segunda é a fome específica ou vontade, aquela relacionada ao prazer que desperta a vontade de beber ou comer algo específico como, por exemplo, um refrigerante ou um bolo de chocolate. Ela está ligada ao emocional podendo ser despertada por lembranças de infância ou estímulos externos como uma propaganda na televisão. A orientação da psicoterapeuta para esses casos é que o paciente ingira o tal alimento desejado, respeitando sempre os sinais de fome e saciedade, pois a vontade não assumida pode desencadear uma futura compulsão alimentar. 

“A ingestão dos alimentos considerados proibidos, em pequenas porções, faz com que o indivíduo passe a ter uma alimentação mais equilibrada. Quando entendemos que esses alimentos estarão a nossa disposição, conseguimos fazer escolhas melhores a longo prazo, sem focarmos apenas no prazer momentâneo”, afirma Sorella.

Já a terceira, e mais preocupante, é a fome emocional. Essa já é considerada um transtorno alimentar a ser tratado, pois a pessoa come de forma compulsiva, não se sente saciada com pequenas porções, sente uma urgência em comer, come rápido e muitas vezes até escondido. 

A fome emocional pode ser gerada por um acúmulo de sinais, tanto de fome quanto de saciedade, que não foram respeitados. Longos períodos de restrição alimentar e de mentalidade de dietas, faz com que as pessoas se distanciem do que necessitam dentro de sua individualidade, ou até mesmo, como forma de se desconectar de seus medos, angústias e ansiedades. As emoções que não aprendemos a entrar em contato de forma saudável, geram fugas externas que muitas vezes são descontadas na comida.

“A luta contra a obesidade precisa ser olhada com o verdadeiro respeito e cuidado que merece. O paciente obeso sofre com suas próprias limitações, com os problemas de saúde causado pelo excesso de peso, com os transtornos psicológicos que todo o processo causa e ainda é obrigado a enfrentar o preconceito das pessoas que o julgam por estar fora dos padrões considerados “normais” pela sociedade”, declara Sorella.
 

Minas Gerais fechou o mês de junho com 12.143 novos empregos formais










CAGED



O principal responsável pelo desempenho foi o setor da Agropecuária

O mês de junho fechou com saldo positivo no emprego formal em Minas Gerais. Foram abertas 12.143 vagas, resultado de 143.531 admissões e 131.388 desligamentos. A diferença representou uma variação de +0,31% no número de empregos em relação a maio. Os dados estão no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgado pelo Ministério do Trabalho na última sexta-feira (20).

O setor que mais contribuiu para este resultado foi a Agropecuária, que abriu 17.717 vagas no estado no mês.

Setores de Atividade Econômica
Saldo de Junho de 2018
Variação Absoluta
Variação Relativa (%)
Extrativa Mineral
-336
-0,65
Indústria de Transformação
-5.295
-0,70
Serviços Industriais de Utilidade Pública - SIUP
226
0,65
Construção Civil
436
0,17
Comércio
-1.455
-0,16
Serviços
981
0,06
Administração Pública
-131
-0,18
Agropecuária
17.717
6,00
Total
12.143
0,31


Desempenho Nacional

No Brasil, o emprego formal se manteve estável em junho. Foram registradas no mês 1.167.531 admissões e 1.168.192 desligamentos, que resultaram em um saldo de -661 vagas. Isso representa uma variação de 0,00% em relação ao número total de vínculos empregatícios do Brasil registrados até maio. Com isso, o estoque de empregos do país ficou em 38.212.388.

As atividades que mais criaram vagas foram as ligadas à Agropecuária, que teve saldo de +40.917 empregos, resultantes de 113.179 admissões e 72.262 desligamentos, uma expansão de 2,58%. O segundo melhor desempenho da economia no mês de junho foi o do setor de Serviços Industriais de Utilidade Pública, com saldo de +1.151 postos, resultado de 6.849 admissões e 5.698 desligamentos.

O setor de Serviços ficou estável em junho, com saldo de +589 empregos formais, consequência de 480.517 admissões e 479.928 desligamentos. As demais áreas da economia tiveram desempenho negativo no mês. Foi o caso do Comércio que ficou com saldo negativo em -20.971 vagas, devido às 279.271 admissões e 300.242 desligamentos. Em seguida, veio a Indústria de Transformação, que admitiu 176.249 trabalhadores e desligou 196.719, apresentando um saldo de -20.470 vagas, uma queda de -0,28% em relação ao mês anterior.


Desempenho regional

Quatro das cinco regiões brasileiras tiveram crescimento no emprego formal em junho. No Centro-Oeste foram criadas +8.366 vagas; no Sudeste, +3.612; no Nordeste, +3.581; e no Norte, 930. Apenas na região Sul o saldo foi negativo, com o fechamento de -17.150 postos. Dezesseis unidades federativas registraram variação positiva no emprego e onze, negativa.
 

Jornal de Saúde informa

Cuba abandona programa Mais Médicos. 11 mil Profissionais devem ir embora

Jornal de Saúde informa sobre saúde e outras notícias Atualização diária  ⋅   16 de novembro de 2018 NOTÍCIAS Cuba abandona programa ...

Jornal de Saúde