quinta-feira, 29 de março de 2018

A saúde da pele na Quarta Idade chama a atenção de especialistas


Vita Derm, Faculdades Oswaldo Cruz e PMSP promovem encontro para discutir os cuidados com a pele nessa faixa etária e a eficácia da cosmética profilática direcionados a esse público, a fim de fortalecer a autoestima e a cidadania
A longevidade é uma notável conquista da humanidade. Hoje, como nunca antes na história, é possível viver mais e melhor, uma realidade inquestionável que coloca o idoso no centro de importantes debates pertinentes a toda a sociedade.
Nos últimos anos, os âmbitos governamentais e institucionais avançaram em relação à proteção dos direitos, da dignidade e da cidadania das pessoas idosas. Mas, em primeiro lugar, é preciso que o corpo de quem ultrapassou a faixa dos 60 anos esteja saudável, a começar pela pele, nosso maior órgão, intermediário entre nós e o mundo.

O envelhecimento ativo e produtivo, a que todos aspiram, começa pelo autocuidado, que abrange o zelo pela pele, a prática de atividades físicas e a prevenção de doenças. E para que isso esteja ao alcance da população, cada vez mais os especialistas da iniciativa privada e pesquisadores com o apoio do poder público estão somando forças voltados para o bem-estar das pessoas idosas.
Cientes da sua contribuição para esse cenário, a Vita Derm e o Instituto Schulman de Investigação Científica (ISIC), em parceria com as Faculdades Oswaldo Cruz e a Prefeitura de São Paulo, realizarão o encontro QUARTA IDADE – UMA NOVA LEITURA DA PELE E O DESAFIO DE VIVER MAIS COM QUALIDADE E SAUDABILIDADE.

O evento acontecerá no dia 10 de abril, das 13h30 às 17 h, no auditório das Faculdades Oswaldo Cruz, em São Paulo, e será dirigido a profissionais e acadêmicos das áreas da beleza e da saúde, relacionados à terceira e à quarta idades, assim como sindicatos, órgãos públicos, clubes e escolas direcionadas a esse público.
Está comprovado que os cuidados com a pele são uma eficaz forma de profilaxia na quarta idade, tendo em vista que, nessa etapa da vida, a pele sofre com as mudanças metabólicas que acarretam a redução da temperatura corporal e a consequente desintegração da barreira cutânea, ou seja, a pele passa a escamar com facilidade e fica desprotegida, podendo ser a porta de entrada para contaminações e infecções.

Felizmente, é possível reestruturar, equilibrar e reintegrar a barreira cutânea com o auxílio da nova geração de cosméticos, conforme o Dr. Marcelo Schulman, presidente, esclarecerá na palestra de abertura do evento. Em seguida, o tema será aprofundado pelo convidado internacional, o Prof. Dr. Hassan Zahouani, de Lyon, França. PhD. in Engineering Science at Besançon University e Presidente da Sociedade Francesa de Bioengenharia Cutânea, ele ministrará a palestra “Barreira Biomimética da Pele na Quarta Idade: Proenvelhecimento com Saudabilidade - o dermocosmético como forma de profilaxia na quarta idade”.

A questão social do idoso será enfocada na palestra “Políticas Públicas - Um Direito das Pessoas Idosas”, ministrada por Sandra Regina Gomes, especialista em Gerontologia, mestre em Gestão e Políticas Públicas pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) e coordenadora de Políticas para Pessoa Idosa, da Secretaria de Direitos Humanos da Prefeitura Municipal de São Paulo.

O encontro ainda abordará os cuidados específicos com os idosos, com especial atenção à pele e ao cabelo na terceira e quarta idades, bem como a questão do bem-estar nessa faixa etária. Especialistas explicarão como desfrutar de um pró-envelhecimento bem-sucedido nos âmbitos físico, psicológico e psicossocial.

Nanotecnologia a serviço da sustentabilidade na construção*

Artigo
A revolucionária ciência da nanotecnologia, que permite a manipulação da matéria numa escala atômica e molecular, tem proporcionado avanços importantes no desenvolvimento de soluções nas mais diversas áreas. Um nanômetro é equivalente a um bilionésimo de metro. Devido ao seu pequeno tamanho, os nanomateriais geralmente possuem novas propriedades ópticas, magnéticas, mecânicas, químicas e biológicas. A concepção de materiais a partir do manuseio na escala nano ampliou as possibilidades científicas, permitindo a construção de estruturas mais complexas e a criação de inovações incríveis com novas funcionalidades e propriedades especiais.

Esse avanço já chegou à indústria da construção com o desenvolvimento de novos químicos para melhora do concreto: aditivos que atuam na estrutura molecular do cimento, garantindo benefícios efetivos de produtividade, performance e de sustentabilidade, por reduzir consumo de água, emissões de gases e até mesmo o emprego de recursos financeiros.


Podemos citar como exemplo, um aditivo avançado que trabalha como acelerador para o endurecimento do concreto na fase inicial da sua cura, que usa uma nova nanotecnologia de cristais de CSH (Silicato de cálcio hidratado). A solução única, Master X-Seed, baseada em tecnologia inovadora, pode duplicar o desempenho da resistência inicial e garante aumento da produtividade, sem afetar as características de performance do concreto. Promove também uma significativa redução nos custos globais de produção.

São importantes os ganhos em sustentabilidade: há redução do consumo de água; diminuição nas emissões de CO2 ao evitar o uso de combustível nas operações de cura a vapor; melhora a eficiência energética com a redução no consumo de eletricidade nas instalações de pré-moldados, além de permitir a substituição dos cimentos com alta composição de clínquer por cimentos misturados com reduzidas emissões de CO2 durante a fase de produção. Esses ganhos são possíveis porque o aditivo diminui o tempo de desmoldagem, evita a cura a vapor em pré-moldados e garante uma melhora significativa da durabilidade, normalmente prejudicada pela cura a vapor. Como um plus, o aditivo é inibidor de corrosão para concreto armado.

Também já existem no mercado grautes cimentícios de ultra resistência MasterFlow, especialmente desenvolvidos a partir de nanotecnologia aplicada, que conferem desempenho técnico superior. Ideal para a ancoragem das torres para produção de energia eólica, esses grautes proporcionam uma maior resistência a cargas dinâmicas e repetitivas (movimentos). A elevada resistência à compressão, ao impacto e à fadiga, a elasticidade e a retração compensada garantem que a ancoragem das torres com essa tecnologia ocorra de maneira segura, rápida e econômica. Essas características asseguram um aumento significativo na vida útil do parque, reduzindo custos de manutenção.

Além de soluções para concreto, já foi desenvolvido também um novo material de isolamento de alto desempenho que pode ser aplicado no setor de construção em edifícios novos ou antigos. O aerogel respirável produzido como um painel de poliuretano sólido tem características únicas: até 90% do volume do aerogel orgânico consiste em poros cheios de ar que têm um diâmetro de apenas 50 a 100 nanômetros. O novo material ocupa metade do espaço se comparado aos materiais tradicionais, oferecendo o mesmo desempenho de isolamento, e garantindo versatilidade de design e menor consumo de energia.

Dimensões pequenas com um enorme potencial, a nanotecnologia é uma grande impulsionadora de inovação, especialmente no desenvolvimento de soluções sustentáveis para enfrentar os desafios do futuro. Prevê-se que a população global chegue a nove bilhões até 2050 e todos precisarão de um espaço de vida adequado, de abastecimento de energia seguro, entre tantos outros recursos. A nanotecnologia trará contribuições indispensáveis para esse futuro, ao mesmo tempo em que protege o meio ambiente.

*Eduardo Machado Coelho, gerente do laboratório de Pesquisa e Desenvolvimento de Químicos para Construção

Projeto social de Ana Moser combate o sedentarismo por meio do esporte


Gabriel Menezes, aluno do Núcleo Salgueiro, emagreceu quase 40 quilos após atividades no projeto Rede de Núcleos, patrocinado pelo Itaú
São Paulo (SP) – Os dados de obesidade na infância e na adolescência são alarmantes no Brasil. Segundo dados do Ministério da Saúde, uma em cada cinco pessoas está acima do peso. A prevalência da doença passou de 11,8%, em 2006, para 18,9%, em 2016. Gabriel Menezes, de 19 anos, era um dos muitos que fazia parte dessa estatística. Porém, há 12 meses, a sua vida mudou.

Gabriel passou de 105 quilos para 68, depois de abandonar a vida sedentária com a ajuda do projeto Rede de Núcleos, do Instituto Esporte & Educação, criado e presidido pela medalhista olímpica Ana Moser. Ele é aluno do Núcleo Salgueiro, na Vila Olímpica, no Rio de Janeiro, e, atualmente, pratica três modalidades esportivas: basquete, natação e corrida.

Apesar de sempre ter gostado muito de esporte, durante um período da vida acabou deixando as atividades de lado. E  nesse momento o projeto Rede de Núcleos foi essencial na vida dele. “Hoje em dia eu estou mais ativo do que nunca. Jogo basquete, faço natação e corro na rua. Amo correr; aprendi a amar [corrida]. O projeto foi realmente importante para eu retomar a vida esportiva, sair da vida sedentária e parar de ficar em casa o tempo todo”, relatou.

Segundo Pedro Estivil, professor de Gabriel no Núcleo Salgueiro, o objetivo de emagrecer partiu do próprio aluno, que passou a pedir dicas do que comer e de quais atividades praticar para perder peso. “Ele entrou no esporte que ele gostava e, pela atividade em grupo, ele emagreceu”.

A participação no Projeto Rede de Núcleos fez com que Gabriel recuperasse a autoestima e fizesse novos amigos, indo muito além da questão estética. De acordo com o professor, ele aumentou a resistência cardiovascular, aprendeu a lidar melhor com as derrotas em jogos e a se socializar mais por se sentir parte de um grupo. “Ele entendeu que não é porque era gordinho ou agora emagreceu que ele é uma pessoa no grupo melhor ou pior. Conseguiu entender que o grupo agrega todos os tipos de pessoas, independente se é alto, baixo, gordo, magro, se fala muito, se fala pouco”, reforçou Pedro.

O Polo Salgueiro, que conta com o patrocínio do Itaú, via Lei de Incentivo do Ministério do Esporte / Governo Federal, faz parte do projeto Rede de Núcleos, que é um dos projetos do Instituto Esporte & Educação (IEE) que mais realiza atendimentos diretos e está presente nas cidades de São Sebastião (SP), Santo André (SP), Embu das Artes (SP), Rio de Janeiro (RJ), Carapicuíba (SP) e São Paulo (SP). Em 2017, foram cerca de 5 mil crianças e jovens atendidos semanalmente pelo projeto e 35 professores formados.

O projeto está estruturado a partir de parcerias locais e institucionais, para atender crianças e adolescentes de comunidades, com atividades regulares e contínuas. Os núcleos atendem crianças, jovens e adultos e são considerados referência na comunidade ao redor.

Sobre o Instituto Esporte & Educação – O Instituto Esporte & Educação (IEE) foi criado em 2001, já atendeu a 3,1 milhões de crianças e jovens em todo o Brasil e contribuiu para a formação de mais de 40 mil professores.
Dentre os parceiros do IEE estão Itaú, Rede, Petrobras, NIKE, Nestlé, EDP, Instituto EDP, Banco Votorantim, Votorantim Energia, Monsanto, Cielo, Ultra, Motorola, Grupo Kroton, Aché, Isa CTEEP, IBM, Mercado Livre, Verde Asset Management, Novelis, Roche, WestRock, Deutsche Bank, Johnson&Johnson, SEMP TCL, Bank Of America, Quantic, BTG Pactual, Correcta, Trench Rossi e Watanabe Advogados, Bridgestone, Bloomberg, Xerox e Perfetti Vam Melle.

Política nacional: Congresso Nacional e Supremo entram em ritmo de Semana Santa


polticia nacional
Atualização diária  29 de março de 2018
NOTÍCIAS
Congresso Nacional e Supremo entram em ritmo de Semana Santa
Deputados e senadores tiram 10 dias de folga e deixam a votação de projetos para depois. No Supremo, plenário também não teve sessões. BB Bernardo Bittar - Especial para o Correio. postado em 29/03/2018 06:00. Plenário do Senado praticamente às moscas ontem à tarde: quórum baixo(foto: ...
Google PlusFacebookTwitterSinalizar como irrelevante
Ataque à caravana de Lula tem forte repercussão no meio político
A investigação tem que ser feita para que os responsáveis sejam apontados, independentemente de questão política e ideológica. Todos em uma democracia têm que ter direito de expor suas ideias, apresentar suas propostas e circular livremente pelo país. Qualquer tipo de obstáculo a essa ...
Google PlusFacebookTwitterSinalizar como irrelevante
CNA defende mudança de gestão de Política de Irrigação para a Agricultura
São Paulo, 28 – A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) solicitou na terça-feira, 27 , a transferência da gestão da Política de Irrigação Nacional para o Ministério da Agricultura. Conforme a entidade informou, em nota, o pedido foi feito em reunião com o ministro-chefe da Casa Civil, ...
Google PlusFacebookTwitterSinalizar como irrelevante
Safatle: “Vivemos uma fase cada vez mais explícita de guerra civil”
A questão é que até o momento só um dos extremos se organizou, o campo reacionário. O extremo progressista continua preso a uma certa crença de que existe um pacto de normalidade na vida política nacional. Esse pacto acabou. A política nacional não está em uma situação normal. É necessário ...
Google PlusFacebookTwitterSinalizar como irrelevante
Gerente Saúde de João Pessoa antecipa política de atenção básica em todo País
“Apenas no ano passado, o índice de satisfação cresceu mais de 10%, acompanhado pela melhoria da infraestrutura dos postos e pelo surgimento de novas práticas, como hortas comunitárias, brinquedoteca e sessões de ioga, superando a política nacional recém-implantada”, explicou o secretário.
Google PlusFacebookTwitterSinalizar como irrelevante
Se for comprovado crime político, ataque à caravana de Lula precisa ser apurado pela PF, diz ...
O presidente da Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR), José Robalinho Cavalcanti, afirmou ao blog que, se for comprovado crime político, o ataque a tiros à caravana do ex-presidente Lula precisará ... "O crime político é de competência federal, diz a lei de segurança nacional.
Google PlusFacebookTwitterSinalizar como irrelevante
Políticos de diversas tendências criticam tiros contra caravana de Lula
Políticos de diversas tendências criticam tiros contra caravana de Lula ... O presidente nacional do PSDB, Geraldo Alckmin, chegou a afirmar durante conversa com a imprensa, na noite dessa terça, que o PT estaria colhendo o que plantou, por estimular a divisão do país. Na manhã desta quarta-feira ...
Google PlusFacebookTwitterSinalizar como irrelevante
Insegurança pública
A hostilidade à caravana de Lula só atravessou a última fronteira da manifestação política estúpida, para reinstalar o atentado a bala na política nacional, porque as tais autoridades o consentiram. Mais do que isso: o incentivaram, o incentivam há anos. Tanto com a indução ao acirramento bancado ...
Google PlusFacebookTwitterSinalizar como irrelevante
Violência diante da caravana de Lula expõe fascismo nacional
A isso, soma-se a aceitação e até mesmo incitação de segmentos da classe política com relação ao que vem acontecendo. Apesar disso, realizamos uma caravana vitoriosa, Lula esteve junto do povo, mesmo com as tentativas de impedi-lo de realizar os objetivos de sua viagem, nossa resistência foi ...
Google PlusFacebookTwitterSinalizar como irrelevante
Rui Rio reuniu com distritais pela primeira vez para falar “mais de organização do que de política
Apesar de ser visto como distante, fazia uma intervenção inicial de análise da situação política e dava depois a palavra às distritais para fazerem a sua própria análise e darem os contributos relacionados com o seu distrito. Desta vez “não houve uma intervenção inicial sobre política nacional”.
Google PlusFacebookTwitterSinalizar como irrelevante

A reposição hormonal de testosterona para o homem velho, melhora ânimo, memória, disposição sexual, ossos





A partir dos 30 anos, o principal hormônio sexual masculino, a testosterona, começa a declinar. É um processo natural e gradativo e, diferentemente da menopausa, afeta muito pouco a fertilidade. Contudo, em alguns casos, os níveis podem cair excessivamente, o que costuma ocorrer na meia idade. As consequências da chamada deficiência androgênica incluem disfunção erétil, redução da energia, depressão, perda de desejo sexual, ondas de calor e irritabilidade, entre outros (veja quadro). Quando esses sintomas passam a afetar a qualidade de vida, os médicos recomendam a terapia de reposição de testosterona. Até agora, porém, havia dúvidas sobre o risco que esse tratamento poderia representar ao coração.





A terapia hormonal para homens melhora a fadiga, a força muscular e o humor. O problema é que alguns estudos sugeriam uma associação entre a reposição e a incidência maior de doenças cardiovasculares. Além disso, há especialistas que defendem que a substância pode favorecer o surgimento de câncer de próstata e de mama. Por causa dessas controvérsias, pesquisadores americanos conduziram uma série de testes para verificar os benefícios e malefícios em potencial da reposição da testosterona à base de gel.

Os resultados, publicados na revista da Associação Médica Americana (Jama), mostram que, comparado a placebo, a substância corrige anemia e aumenta a densidade óssea. Por outro lado, não houve melhora — nem piora — na memória e em outras funções cognitivas. Já para o coração, embora um dos estudos tenha encontrado elevação da quantidade de placas não calcificadas nas artérias, outro, feito com número maior de participantes, detectou redução de risco cardiovascular.

Calcificações

O endocrinologista Peter J. Snyder, da Universidade da Pensilvânia, coordenou os trabalhos de quatro dos cinco artigos divulgados, e contou com uma equipe de pesquisadores de nove instituições norte-americanas. Um desses estudos teve como foco a saúde coronariana. Foram incluídos 170 homens, sendo que, desses, 50,7% tinham calcificações severas no início do estudo. Ao fim de 12 meses e comparado ao grupo do placebo, os que receberam testosterona tiveram um aumento no volume das placas não calcificadas, o que foi visualizado por meio de tomografia computadorizada e angiografia.

Contudo, as formações não foram associadas à ocorrência de infartos e derrames. “Esses estudos ainda têm limitações. O número de participantes não é suficiente para determinar os riscos do tratamento, sejam os eventos cardiovasculares maiores ou o câncer de próstata. Encontramos muitos benefícios, mas ainda não sabemos os riscos. Nosso próximo passo é um teste maior e mais longo, para determinar se a reposição pode aumentar a incidência de ataque cardíaco e de tumores de próstata, além de reduzir o risco de fraturas”, conta Snyder.

Com um número bem maior de participantes — 44 mil homens acima de 40 anos —, outro trabalho publicado no Jama encontrou menor risco de problemas cardiovasculares entre aqueles que faziam reposição de testosterona. No universo de voluntários — acompanhados, em média, por três anos e quatro meses —, 8.808 tinham baixos níveis da substância e precisavam repô-la, seja por meio de gel, comprimido ou injeção intramuscular. Comparado aos demais, eles sofreram menos episódios de infarto e derrame no período avaliado. No fim do estudo, a taxa de ocorrências cardiovasculares entre o grupo da reposição foi 16,9 por 1 mil pessoas ao ano, contra 23,9.

O endocrinologista Flavio Cadegiani, especialista da Associação Americana de Endocrinologistas Clínicos e membro da Associação Brasileira para Estudos da Obesidade, explica que um dos mecanismos pelos quais a testosterona pode reduzir os riscos cardiovasculares é que, do ponto de vista celular, a substância atua em diversas frentes metabólicas, diminuindo a absorção de gordura e aumentando a sensibilidade à insulina, por exemplo. Esses fatores protegem o organismo de infarto e acidente vascular. “A grande novidade desse estudo é mostrar que a reposição do hormônio reduz esse risco”, observa.

O médico esclarece que, atualmente, só se prescreve a terapia de testosterona quando o paciente, além de baixos níveis da substância, apresenta sintomas que afetam a qualidade de vida. Contudo, ele não descarta que, no futuro, com o resultado de mais estudos de grande porte, a reposição hormonal possa entrar no rol de procedimentos indicados para a redução de risco coronariano em homens com taxas de testosterona insuficientes, ainda que não existam incômodos associados.

Ossos




No primeiro caso, os cientistas verificaram um aumento na densidade óssea e na força muscular de idosos que fizeram uso da testosterona em gel. “Quando homens de qualquer idade desenvolvem níveis severamente baixos de testosterona devido a doenças desconhecidas, seu índice de massa corporal cai, enquanto as fraturas aumentam”, destaca o artigo. No fim, descobriu-se que a substância, de fato, melhora a densidade óssea, principalmente na espinha e no osso trabecular, responsável por 20% do esqueleto humano.

Palavra de especialista

Risco para os jovens
De forma geral, os estudos mostraram efeitos benéficos, mas é preciso destacar que são pacientes mais velhos, com baixos níveis do hormônio. Esse resultado não é para o jovenzinho que quer tomar hormônio na academia. Tomar testosterona sem necessidade causa alterações hepáticas irreversíveis, aumenta o colesterol e os triglicerídeos, eleva a pressão, reduz a fertilidade, causa acne e altera o comportamento. Em mulheres, dá alterações na voz, na distribuição de cabelo, e causa hipertrofia de clitóris. Para os homens mais velhos com deficiência hormonal, a reposição de testosterona melhora a anemia e a densidade óssea. O estudo com 8.808 homens também mostrou um efeito cardiovascular benéfico. Isso não quer dizer que a testosterona deve ser um tratamento para doença cardiovascular; para isso existem estatinas e aspirina. Significa que, para os que precisam fazer a reposição, não existem riscos. Embora um dos estudos tenha encontrado aumento de placas coronarianas não calcificadas, isso não aumentou o risco, então pode ser que o aumento do volume dessas placas não seja maléfico para o corpo.”

João Lindolfo Borges, professor de endocrinologia da Universidade Católica de Brasília e membro da Sociedade Brasileira de Endocrinologista e Metabolismo.

Fonte: correiobraziliense.com.br





Jornal de Saúde informa

Férias escolares: momento importante para atualizar a caderneta de vacinação das crianças e adolescentes

Rio de Janeiro, novembro de 2018  – Férias escolares, viagens, família reunida e festas de fim de ano. Além de todas essas comemora...

Jornal de Saúde