terça-feira, 23 de agosto de 2016

Eleições onde o eleitor não será consciente e os partidos sem responsabilidade de chamar eleições gerais

Em 2 de outubro os brasileiros vão às urnas eletrônicas apertar a tecla para Prefeito, vereador e deputado estadual. O melhor e mais rentável negócio que existe no país. Por certo precisa de investimento. O prazo para discussão é tão pequeno, exíguo que as TVs já estão em flashes constantes de anúncios para debates em todos os estados. O eleitor por sua vez, muitos, estão "nm ai" com essas eleições. Parece que haverá desobediência civil nas urnas neste pleito.

O que leva crer que esse quadro predomine. Os partidos de esquerda que estavam no poder, por exemplo, em Belo Horizonte, segundo últimas pesquisas estão com apenas 3% da intenção dos votos. Enquanto que partidos novos, pequenos, alguns já conhecidos como Psol e PSTU estão com 5% nas ruas quando há discussão a insatisfação pela crise e insegurança é tão grande que muito ou preferem dizer que vão votar em branco ou nulo. Obviamente que ão estes que os políticos qe já desfilam pelo centro e bairros vão disputar com garras e dentes.

Ainda há o desfecho da Operação Lava Jato, que não terminou, da Lei Anti Corupção, que o Congresso não quer legitimar apesar de mais de 2 milhões de assinaturas. E, agora sai o ministro Gilmar Mendes, o sr polêmico e afeito ao PSDB que diz em alto e bom som para todos os colegas de cátedra e toga, e para os brasileiros mais ou menos, informados que a Lei Ficha Limpa foi feita por bando de bêbados. Depois disse que foi retórica, ainda ofende a filosofia. Ele disse, ele protegeu Aécio Neves, libertou o banqueiro Dantas do banco Oportunity. Enfim e sempre está em torno de presepadas, para não dizer coisa que ofenda vossa digníssima "majestade" da corte do Supremo e venha processo para a cabeça dos velhos e escribas mortais.


Ousasse alguém propôr um choque de gestão do judiciário brasileiro haveria de saber que é um dos poderes que mais consome verba pública e o que menos produz para a nação brasileira. Mas, isso já público e notório na sociedade brasileira. E, os mais recebem aumentos salariais e benefícios. Será porque políticos adoram votar aumentos e auxílios para os juízes, responda quem quiser?

O que tem a ver juízes, tudo e nada ao mesmo tempo. O juiz Sérgio Moro, que já descobriu que foi usado na montagem da Operação Lava Jato, ou seja, lúcifer que se rebelou contra Deus, que o criou  sua imagem e semelhança, e este quis ser maior que Deus. Só que a Deus nesse história está longe, mas tão longe do Deus, contraditório e injusto que conhecemos, não vamos entrar em filosofia, apesar de estarmos dentro dela. No entanto, não termina a Lava Jato e a utiliza para controle político, como o de natalidade, precisa coibir, mas precisa de gente para trabalhar e pagar INSS, caso contrário a "mamata" da Previdência Social acaba.

Então temos na verdade nessas eleições e na próxima o fiel da balança com a espada está balançando e como na Revolução francesa vai cortar muitas cabeças aspirantes a reeleição ou até mesmo a volta dos "injustiçados" monitorados pelo Judiciário. Quantos governadores, senadores, deputados federais e até mesmo ministros estão vendo e argumentando contra a Operação Lava Jato.

Para arrematar há ainda o impeachment de Dilma Rousseff capitaneado pelo Congresso, pelo vice-presidente e atual presidente interino Michel Temer, se golpe branco ou palaciano somente análise detida, fria feita por pessoas desapaixonadas, poderá afirmar e publicar a verdade. Ela virá. Mas, tudo indica que foi programado desde a criação da 13a Vara da Polícia Federal no Estado do Paraná. Como Carl Gustav Jung dizia que não havia no mundo acaso ou coincidência e sim energias que se confluiam para determinado fim. Então conclua quem quiser.

Portanto, essas eleições é como um "golpe" na consciência do eleitor. E os partidos políticos se sérios fossem e se vissem a real necessidade do eleitorado e da sociedade brasileira boicotaria essas eleições e chamaria, conscientizaria a sociedade para eleições direta, já e de cabo a rabo, como se dizia antes. Todos sabem e sentem na pelo que bem antes de se aumentar os preços através da autoridades eles já estão altos nas gôndolas dos supermercados em em todos os setores. Todos sabem que quando falam que não vão aumentar impostos a planilha já está sendo preparada através de ampla pesquisa para saber até mesmo quem será eleito e como aprovar. Somente eleições gerais é que poderia frear essa arrogância e ganância politica desmensurada brasileira. Onde um trabalhador ganha R$ 880,00 e muitos formados estão desempregados ou são perseguidos por estes políticos e industriais. Um Brasil onde para estudar medicina se paga R$ 6.000,00 de mensalidade e se paga para um juiz do judiciário salários mais altos do que para os juízes dos USA, México, Espanha e muitos outros países e sempre eles ganham mais. Onde o sonho da casa próprio virou pesadelo, pois ou se aceita as casas de boneca e tudo igual ou então vira ladrão para conseguir comprar uma mansão.


Mrcelo dos Santos - jornalista - Mtb 16.539 SP/SP


Protocolos clínicos são atualizados pelo Ministério da Saúde



Google Plus
jornal de saude
Atualização assim que ocorre  22 de agosto de 2016
NOTÍCIAS
Protocolos clínicos são atualizados pelo Ministério da Saúde
Doze Protocolos Clínicos de Diretrizes Terapêuticas (PCDTs) vão ser atualizados pelo Ministério da Saúde. Cinco deles já estão em consulta pública ...
Google PlusFacebookTwitterSinalizar como irrelevante
Associação quer projectos para industrializar Ler mais »
A direcção da Associação de Inventores e Inovadores Angolanos (AIIA) está a trabalhar arduamente no sentido de criar uma nova forma de ...
Google PlusFacebookTwitterSinalizar como irrelevante

Salutogênese: o caminho para viver e envelhecer bem


Salutogênese: o caminho para viver e envelhecer bem

Por Mônica Rosales

Não é um fato novo que a Saúde Pública tem dificuldades de dar conta da demanda crescente da população idosa. Pessoas envelhecem mais e adoecem todo os dias, está claro que é preciso formular políticas públicas a fim de dar conta dignamente de atendimento e tratamento adequado para cada cidadão.

A salutogênese é a aptidão do indivíduo para viver com qualidade, resistir aos males, movido por um senso de coerência e outros valores subjetivos positivos. A ideia é enfrentar a vida em situações adversas e ainda assim tornar-se flexível, interior e exteriormente.

A visão da médica alemã Dra Michaela Gloeckler, pesquisadora da salutogênese, mostra que nos aproximamos de uma sociedade onde apenas 20% da população estará ativa, enquanto 80% dependerá da assistência social. As pessoas vivem mais, continuam a se aposentar, mas não estão necessariamente saudáveis para encarar a idade. Isso nos coloca em um desafio de como inverter esta relação, na qual 80% da população deveria ser ativa e saudável para cuidar dos 20% que não conseguem fazê-lo.

Isso levanta o questionamento sobre de onde vem a saúde e como ela pode ser fortalecida. Um assunto que deveria estar cada vez mais em pauta. Como podemos, para além das vacinas, criar resistência interna? É justamente esse o paradigma da salutogênese, que busca a gênese da saúde dentro uma visão integral  do ser humano. A salutogênese tem sido tema de pesquisa, inclusive econômica, desde o fim do século XX.

Apesar das vicissitudes da vida, conseguir manter um olhar vivo e um sorriso no rosto, mostra onde reside um segredo para uma vida equilibrada. É no agir cotidiano  que devem estar imbuídos propósitos maiores, já que a perda de conexão com o sentido da existência é um fator desintegrador. Estar sadio é estar inteiro, íntegro!

Para isso, é preciso manter o sentido de coerência interno. Desde a infância, a criança deve aprender que o mundo deve ser compreendido, que ele é significativo e valioso, e que pode ser manejado. A convivência com os mais velhos, que passaram por situações duras e que mesmo assim parecem estar de bem com a vida, é talvez uma das maiores fontes de aprendizado. Idosos que por sua vez tem um sentido de valia e pertencimento no meio em que atuam, certamente tem mais forças de saúde renovadas.

A resiliência é o segundo elemento fundamental. Passar por cima da derrota e se reerguer novamente. Para além da hereditariedade e do meio, relacionamentos honestos que gerem dignidade, respeito e confiança têm importância central no fortalecimento do corpo e na imunidade. Estudos de qualidade de vida apontam que a capacidade de manter e criar vínculos está entre os maiores patrimônios da vida.

A terceira parte do processo da busca pela salutogênese é a heterostase, que significa estado diferente, e sugere desenvolver a capacidade de adaptação, sempre em um equilíbrio dinâmico. É a habilidade do ser humano de se confrontar com o que lhe é estranho, fortalecendo-se. Reconhecer os limites da resistência física e psíquica e ampliá-los é mais um ponto a favor do equilíbrio.

Por último, deve-se criar força de resistência no campo espiritual. Quando chega o momento de passar a vida a limpo, isso deve ser feito com  coragem, ou seja, na esfera do coração, da consciência ética e do amor, onde se torna possível cultivar um relacionamento estável com Deus.

Para além do que recebemos como atributos, sejam genéticos ou pelo meio em que vivemos, há um convite para desenvolver a saúde, dentro da proposta salutogênica. No âmbito pessoal, dedicar todo dia um pouco de tempo para o auto-cultivo, como num ócio cultivado, no sentido de nos tornarmos virtuosos, é uma prática milenar, consagrada. No campo social, o espírito salutogênico inspira há anos em várias partes do mundo a promoção e qualidade de vida integral.

A criação de centros comunitários abrangem as três esferas interdisciplinares, NA-CUL-HEAL (Nature, Culture and Heal). A primeira, Natureza, demonstra a dimensão relacional com o meio ambiente total: natureza, pessoas e ecologia humana. A segunda: Cultura, é a promoção de atividades artísticas e culturais, incluindo e valorizando as raízes culturais. A terceira, a Saúde, evidencia a necessidade de atividades de promoção e prevenção da saúde plena.

No Brasil, tem-se notícia de alguns destes programas, implantados com sucesso, sendo o da favela Monte Azul, em São Paulo, reconhecido pela Unesco. A comunidade tem feito um belo caminho de desenvolvimento rumo à uma vida mais digna e com sentido, ainda que em situações adversas.

A Associação São Joaquim de Apoio à Maturidade, em Carapicuíba, São Paulo, também vem construindo um programa coletivo, numa comunidade de idosos em situação de vulnerabilidade social, que abrange a atuação salutogênica. Em um nível individual, de pessoa para pessoa e com uma mentalidade cooperativa, idosos têm reinventando sua forma de ser e atuar no mundo.

Seria utopia? Os contextos micro-sociológicos e a micro-política podem e deve  inspirar os 80% da população que quer e deve fazer a diferença no cenário. Ou se reinventa, ou se padece. Essa é a proposta e o caminho proposto pela salutogênese.

Para os que quiserem saber mais sobre o assunto, no dia 17 de agosto, a Associação São Joaquim de Apoio à  Maturidade irá oferecer um evento aberto a profissionais da área de cuidado com o idoso e pessoas interessadas em trabalho social. Haverá um café da manhã com uma mesa redonda com especialistas falando sobre envelhecimento pleno. Entre eles estão Jorge Félix, do Portal da Longevidade, Plínio Cutait, mestre em reiki e responsável pelo Departamento de Práticas Integrativas do Hospital Sírio Libanês, Simone Espadafora, mestre gerentóloga e diretora da São Joaquim, além de Neuma D’Ávila Pinto Nogueira, assistente social do Grupo Vida. Fátima Belo, que será a mediadora da discussão.

Poesia: Surpresa

Surpresa

A noite quente com vento frio de agosto,
Gente alegre, notícias quentes,
Brasil contente como ouro reluzente nas camisas amarelas.
Fatos tristes ao mesmo tempo.

Muitos sorriem na rua da Bahia, no Piauí, no Chuí.
Sempre é asim, lágrimas contidas ou espraiadas
Com sorrisos; corações tristes com mentes alegres
Dentro da vida que sempre é benvinda.

Nego a tristeza apenas com a alegria.
Mas, essa que também mata. Nessa vida
É melhor viver o dia que 
A vida que devia.

Masaloro - 20/08/16

Estudo sobre ciência: Controle do tabagismo: desafios e conquistas

[HTML] Controle do tabagismo: desafios e conquistas

LCC da Silva, AJ de Araújo, ÂMD de Queiroz… - Jornal Brasileiro de …, 2016
Resumo O tabagismo é o fator de risco mais prevenível e controlável em saúde e, por isso,
precisa ter a máxima atenção e ser muito mais enfocado por todos os profissionais da
saúde. O tabaco é um produto de alta rentabilidade pela sua grande produção e pelo ...

[PDF] Tramas da Convergência: hiperdispositivo e a cobertura dos Jogos Olímpicos de Verão pela BBC em 2012

L Tárcia - Dispositiva, 2016
... Vários falam por ela, apresentam-se sabedores de seus segredos, de sua saúde, de seus rumos. ...
No período Coubertin, que identificaremos como forma-jornal, em que os Jogos ... emergente, da
qual faziam parte os donos de jornais, ajudou a sustentar o projeto do barão ...

[PDF] O clipping utilizado como ferramenta de mensuração do aproveitamento dos releases produzidos no Setor de Comunicação Integrada da UNESC

LM Silva - 2016
... Vale também ressaltar às novas metodologias, conhecimentos, saúde, cultura, ensino, projetos,
pesquisas, terapias ... notícia. O release é como a primeira página de um jornal... contatos de
jornalistas e meios comunicação (revistas, jornais, rádios, TVs e blogs), ...

[PDF] A hora e a vez de Iná Camargo Costa: a dramaturgia em cena

J Caldas, L Balista, L Destri - Opiniães, 2016
... Yes! Agosto de 2003. Por acaso a data da última atualização do seu currículo Lattes. ... O Brasil
já teria erradicado o Aedes aegypti se saúde pública fosse uma prioridade. ... Por isso mesmo
a primeira forma de tea- tro de agitação e propaganda é o teatro-jornal...

[PDF] Saúde mental de pacientes com doença renal crônica e cuidadores e sua associação com alterações clínicas

BS Pereira - 2016
Page 1. Universidade Federal de Juiz de Fora Programa de Pós-Graduação em Saúde Área
de Concentração: Saúde Brasileira BEATRIZ DOS SANTOS PEREIRA SAÚDE MENTAL DE
PACIENTES COM DOENÇA RENAL CRÔNICA E CUIDADORES ...

[PDF] Contributo para a reabilitação energética de edifícios

DIF Moreira - 2016
... através do Relatório de Brundtland, que citou, “Desenvolvimento sustentável é o desenvolvimento
que satisfaz as necessidades atuais sem comprometer a capacidade das gerações futuras em
satisfazerem as suas próprias necessidade” (Jornal de Negócios, 2015). ...

[PDF] Análise do arquivo no setor administrativo de um órgão público do Governo Estadual no município Araranguá–SC

MQ Faveri - 2016
... 3º Caberá ao CONARQ, por intermédio de câmara técnica específica, proceder à atualização
periódica desta Tabela. Art. ... região. No local, funcionam as gerências regionais de saúde,
educação, ... podem ser utilizados, como jornais, fotografias, ofícios, gravações, cartas, etc. ...

[PDF] Estudo da comunicação interna em uma empresa do comércio varejista de mercadorias em geral localizada em Içara–SC

ES Viscardi - 2016
... detrimento dos bens relativos à informação e à cultura, isto é, aos bens que podem ser objeto
de comunicação (livros, jornais, filmes, cds, etc.). ... Também usadas para relatar temas importantes
como: qualidade de vida, saúde, marketing, atendimento ao cliente, entre outros. ...

[PDF] Simões Lopes Neto Jornalista: uma leitura da coluna Inquéritos em Contrastes, de 1913

PL Lima - 2016
... 1913 no jornal A Opinião Pública, no qual empregara-se há pouco como redator remunerado ...
carnavalescas, literárias, religiosas e a existência de um número importante de jornais diários,
além ... O Mal do Século: Tuberculose, Tuberculosos e Políticas de Saúde em Pelotas (RS ...

[PDF] Os Centros de Atenção Psicossocial (CAPS): Uma Instituição de Referência no Atendimento à Saúde Mental

JT Ferreira, NNM Mesquita, TA da Silva, VF da Silva…
... de unidades hospitalares psiquiátricas que atuem no seu território; d) Manter atualizada a
listagem dos pacientes de sua região que utilizam medicamentos para a saúde mental (BRASIL,
2004 ... social, grupos de leitura e debate, grupos de confecção de jornal Atendimento para ...

Belo Horizonte Praça da Rodoviária Operação limpeza de sujeira de "moradores de rua"

A Prefeitura de BH com respaldo da PM deflagram operação no centro de Belo Horizonte, exatamente às 8h40 iniciam a operação que poderia se chamar de limpeza do Centro. É a remoção de acúmulo de papelão, colchão e outras tralhas que os moradores de rua juntam e formam suas moradas.
Praça da Rodoviária hoje praticamente invadida por morador de rua

O centro conforme a fiscalização da PBH está com muito lixo. Na Praça Rio Branco, conhecida como praça da Rodoviária já existe pequenas "casas" improvisadas onde se cozinha, enfim, se ode se chamar de morada digna essas pessoas tentam viver.

O aspecto do local é dos piores, bastante degradante. Essas pessoas não querem, porém, ir para o abrigo, também essa operação não possui essa determinação. Os moradores de rua reclamam que nos abrigos sofrem humilhações e mistura tudo quanto é tipo de gente, drogados, alcoolistas e até estupros ocorrem no dia a dia nos Centros de Abrigo ao Morador de rua.

A população de rua de Belo Horizonte cresce, já era grande antes da crise de 2015 e 2016, com o impeachment de Dilma Rousseff, podia-se contar mais de 40 pessoas perfiladas lado a lado na estação do Metro da Lagoinha todos os dias começa a partir das 18 hs. Portanto, a máxima de que os moradores de rua não gostam de disciplina e não sse submete a ele não válida. Não são todos.

Esse problema se alastra pelo centro afora. Na Av. Antonio Carlos, por exemplo, não pode haver qualquer tio d terreno baldio, pontes como o viaduto Senegal e outros que eles queimam fios para extrair cobre, armam "barracas" improvisadas, invadem os terrenos.

É um grande problema para a Assistência Social, psicólogos, médicos enfim é um trabalho de Saúde Pública e de administração que deveria ser pontuado para que melhorasse e se recuperasse grande parte que não quer morar, ficar e permanecer avida toda nas ruas. Muitos até gostariam de retornar para suas cidades de origem.

Mas, parece que a Prefeitura faz o mais fácil que deixar aumentar os nichos de moradias para depois vir com a Operação limpeza, que não está de todo errada, pois cidade é de todos e não de uma minoria necessitada, que precisa ajuda, muita ajuda para melhorar e ter as mesmas condições que todos os moradores. Eles também pagam impostos, são consumidores e merecem respeito.

Marcelo dos Santos - jornalista - MTb 16.539 SP/SP

Jornal de Saúde informa

Até quando juiz poderá passar por cima da Constituição do STF e soltar liminar que fere o Direito de expressão e a liberdade de imprensa?

Grande equívoco de juiz, ao proibir a Globo de noticias matérias do processo do Assassinato de Mariele Franco e Anderson Gomes. Não podemo...

Jornal de Saúde