quarta-feira, 15 de junho de 2016

Café e erva mate não representam risco para câncer, se bebidos em temperaturas abaixo de 65º C Estudo mundial aponta ainda que café é fator de proteção para cânceres de fígado e endométrio. Resultados foram detalhados em coletiva de imprensa no INCA Luis Felipe Ribeiro Pinto, vice-diretor do INCA e representante do Brasil na Agência Internacional de Pesquisa em Câncer (Iarc, na sigla em inglês) da Organização Mundial da Saúde (OMS), analisou os resultados apresentados pela Iarc, em coletiva de imprensa no Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA) na tarde de quarta-feira, 15 de junho. Após analisarem mais de 1 mil estudos em diversos países, o grupo de trabalho da Iarc, integrado por 23 pesquisadores de dez países, classificou o café no grupo 3 (sem evidência de ser carcinogênico para humanos). Na última avaliação, em 1991, o café estava classificado no grupo 2B (possivelmente carcinogênico para humanos). O Iarc classificou a erva mate (Ilex Paraguaryense) do grupo 2A (provavelmente carcinogênico para humanos). A classificação varia de: 1 (carcinogênico para humanos), 2A, 2B, 3 e 4 (não carcinogênico). No entanto, na avaliação atual, o Iarc classificou no grupo 2A, como provavelmente carcinogênico para o câncer de esôfago, a ingestão de qualquer bebida a temperaturas acima 65 graus centígrados, seja café, chá, bebidas derivadas da erva mate ou mesmo água). A classificação serve como advertência principalmente para os consumidores de chimarrão, que frequentemente ingerem a bebida em temperaturas acima do limite de 65º C. O consumidor, em geral, não toma café e chá acima da temperatura limite, porque sente a sensação de queimação na boca. No caso do chimarrão, a ingestão é feita por meio de um canudo que lança a bebida no esôfago, onde não há terminações nervosas e o calor não é detectado. A bebida em alta temperatura provoca lesões no esôfago, que podem evoluir para tumores. “Os nossos amigos gaúchos podem continuar a beber o seu chimarrão tranquilamente, mas devem atentar para a temperatura. Se consumido abaixo de 60 graus, que ainda é uma temperatura muito elevada, o chimarrão não representa risco para câncer,” afirma Luis Felipe. “A recomendação é que o consumidor espere alguns minutos antes de beber. Uma forma prática é medir com um termômetro quantos minutos são necessário para temperatura cair para o limite adequado, e passar a obedecer esse tempo de espera.” Para os amantes do café, a conclusão dos pesquisadores da Iarc não poderia ter sido melhor. Além de descer um nível na classificação de risco, os especialistas concluíram que há evidência científica para afirmar que o café não apresenta risco para os cânceres de mama e próstata – no Brasil, os mais frequentes entre as mulheres e homens – e pâncreas, que é um câncer extremamente agressivo. “Os estudos evidenciaram também que o consumo de café protege contra o desenvolvimento de tumores no fígado e endométrio. Enfim, o café passou de ano sem recuperação!”, afirma Luis Felipe

Estudo mundial aponta ainda que café é fator de proteção para cânceres de fígado e endométrio. Resultados foram detalhados em coletiva de imprensa no INCA
Luis Felipe Ribeiro Pinto, vice-diretor do INCA e representante do Brasil na Agência Internacional de Pesquisa em Câncer (Iarc, na sigla em inglês) da Organização Mundial da Saúde (OMS), analisou os resultados apresentados pela Iarc, em coletiva de imprensa no Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA) na tarde de quarta-feira, 15 de junho.
Após analisarem mais de 1 mil estudos em diversos países, o grupo de trabalho da Iarc, integrado por 23 pesquisadores de dez países, classificou o café no grupo 3 (sem evidência de ser carcinogênico para humanos). Na última avaliação, em 1991, o café estava classificado no grupo 2B (possivelmente carcinogênico para humanos). O Iarc classificou a erva mate (Ilex Paraguaryense) do grupo 2A (provavelmente carcinogênico para humanos). A classificação varia de: 1 (carcinogênico para humanos), 2A, 2B, 3 e 4 (não carcinogênico).
No entanto, na avaliação atual, o Iarc classificou no grupo 2A, como provavelmente carcinogênico para o câncer de esôfago, a ingestão de qualquer bebida a temperaturas acima 65 graus centígrados, seja café, chá, bebidas derivadas da erva mate ou mesmo água). A classificação serve como advertência principalmente para os consumidores de chimarrão, que frequentemente ingerem a bebida em temperaturas acima do limite de 65º C.
O consumidor, em geral, não toma café e chá acima da temperatura limite, porque sente a sensação de queimação na boca. No caso do chimarrão, a ingestão é feita por meio de um canudo que lança a bebida no esôfago, onde não há terminações nervosas e o calor não é detectado. A bebida em alta temperatura provoca lesões no esôfago, que podem evoluir para tumores.
Os nossos amigos gaúchos podem continuar a beber o seu chimarrão tranquilamente, mas devem atentar para a temperatura. Se consumido abaixo de 60 graus, que ainda é uma temperatura muito elevada, o chimarrão não representa risco para câncer,” afirma Luis Felipe. “A recomendação é que o consumidor espere alguns minutos antes de beber. Uma forma prática é medir com um termômetro quantos minutos são necessário para temperatura cair para o limite adequado, e passar a obedecer esse tempo de espera.”
Para os amantes do café, a conclusão dos pesquisadores da Iarc não poderia ter sido melhor. Além de descer um nível na classificação de risco, os especialistas concluíram que há evidência científica para afirmar que o café não apresenta risco para os cânceres de mama e próstata – no Brasil, os mais frequentes entre as mulheres e homens – e pâncreas, que é um câncer extremamente agressivo.
Os estudos evidenciaram também que o consumo de café protege contra o desenvolvimento de tumores no fígado e endométrio. Enfim, o café passou de ano sem recuperação!”, afirma Luis Felipe

Ronaldinho Gaúcho apoia iniciativa social de Curitiba

 










Ronaldinho Gaúcho apoia iniciativa social de Curitiba

Astro apadrinha Grande Roda de Tambores, ONG que realiza projeto de
percussão popular com jovens e crianças da comunidade Moradias do Cajuru,
localizada na capital paranaense

Eleito duas vezes o melhor jogador de futebol pela Fifa e pentacampeão
pela Seleção Brasileira, Ronaldinho Gaúcho divulgou na última semana o
apoio oficial ao projeto social da Grande Roda de Tambores, Organização
Não-Governamental (ONG) de Curitiba. Conhecido pelo envolvimento com a
percussão popular e a música brasileira, o atleta conheceu o grupo em
2014 e firma-se agora como padrinho oficial da ONG, que, há 12 anos,
utiliza os tambores como ferramenta para promover a cidadania e inclusão
social através da arte educação.

Em suas redes sociais, Ronaldinho Gaúcho realizou algumas postagens sobre
o grupo, com o objetivo de incentivar fãs e seguidores a conhecer e ajudar
um dos projetos da Grande Roda de Tambores. Intitulado PráQbrá, este tem
como objetivo ensinar percussão por meio de diferentes instrumentos da
música popular brasileira a 30 crianças e jovens da região de Moradias
do Cajuru.

Em sua página oficial no Facebook, o jogador postou o vídeo do projeto e
comentou: “Galera, convoco todos vocês a colaborar com esse projeto que
eu acho incrível e que transforma a vida de muitas crianças na periferia
de Curitiba, através da percussão popular brasileira. O projeto PráQBrá
é uma iniciativa da ONG Grande Roda de Tambores, da qual eu sou padrinho e
admiro muito. Colabore agora em catarese.me/granderoda. Eu já fortaleci!
Agora é sua vez. #fortaleceai #vivaagranderoda”. Tempo depois, reforçou
a postagem em sua página pessoal, Ronaldo de Assis Moreira.

Além do apoio nas redes sociais, o jogador também gravou um vídeo
especialmente para os alunos do projeto, estimulando-a a “seguirem firme
no batuque”. As crianças e adolescentes integrantes do grupo, por sua
vez, retribuíram com um vídeo para agradecer ao padrinho astro pelo
apoio. Além disso, estão confeccionando um tambor especial para
presentear o jogador. Para esses jovens, ter um ídolo nacional como
apoiador é um grande estimulo e mostra a importância de sonhar e de
correr atrás dos seus objetivos.

Campanha de arrecadação

No ar durante o mês de junho, a campanha para incentivo ao PráQBrá está
disponível no Catarse e tem como propósito arrecadar dinheiro para arcar
com os custos do projeto social. Além de ensinar 30 crianças e jovens a
confeccionar e tocar diversos instrumentos que fazem parte da cultura
popular brasileira, como o Maracatu de Baque Virado, a Ciranda, o Coco e o
Afoxê, o projeto estimula diversos outros conhecimentos, para ampliar a
visão do mundo e o fortalecimento da cidadania.

A arrecadação irá custear todo o projeto, incluindo profissionais,
materiais, confecção de instrumentos e figurinos, além das diversas
vivências voltadas aos jovens. O projeto inclui também uma viagem para o
grupo à Ilha do Mel, onde as crianças e jovens terão um workshop de dois
dias com o reconhecido percussionista pernambucano Deivson Santana.

Para saber mais, confira o site da Grande Roda de Tambores e conheça mais
sobre a ONG e os outros projetos que estão sendo desenvolvidos. Para
contribuir, acesse catarse.me/granderoda e adquira as cotas destinadas ao
projeto. Com doações a partir de R$ 20,00, a iniciativa visa transformar
a realidade e ampliar a visão de mundo das crianças e jovens em
situação de vulnerabilidade social em Curitiba.

Confira o depoimento do Ronaldinho sobre o projeto PráQBrá:
http://www.admtemailmkt.com.br/emailmkt/link.php?M=2238020&N=3420&L=1052&F=T


O projeto PráQbrá

O PráQbrá realiza encontros semanais com duas horas no bairro Cajuru. Por
meio de diversos instrumentos de percussão, o projeto é um complemento à
educação escolar, de forma interdisciplinar, carregado de diversidade e
riqueza cultural.

Thiago Senden, diretor executivo da Grande Roda de Tambores e um dos
fundadores do grupo, explica que os instrumentos de percussão se destacam
por serem democráticos: “Há um poder mágico do tambor. A pessoa que
não sabe tocar e nunca estudou música, dificilmente se arrisca em um
instrumento como um violão ou piano, por exemplo. Mas se você chega com
um chocalho, um bongô ou simplesmente bate palma e estala os dedos, as
pessoas se permitem participar mais da brincadeira e essa pulsação vai
tomando conta. Quando se vê, está todo mundo em um mesmo ritmo. O tambor
integra as pessoas”. A percussão trabalha com a alegria como forma de
transformação social, ressaltando a coletividade, a força e a fé, além
da união entre ritmos, danças e brincadeiras.

Além de desenvolver o senso musical, o projeto estimula a reflexão, as
habilidades cognitivas, afetivas e motoras. O PráQbrá possibilita também
às crianças e jovens discussões de caráter sociocultural, igualdade,
respeito, dignidade e cidadania, considerando os temas e ritmos abordados
na oficina.

Os ritmos aprendidos durante o ano de 2016 serão Ciranda, Coco, Maracatu
de Baque Virado e Afoxé, que serão incluídos gradualmente conforme o
aprendizado. Também serão desenvolvidos alguns instrumentos pelas
próprias crianças, visando a geração de valor.




Temer quer mudar a Constituição brasileira e tirar investimento da Saúde(15%) e da Educação(18%) o que atrasará o país para 1989

O presidente em exercício Michel Temer põe as garras de fora e agora não mente mais e parece que não irá a programa de TV, como o fez na Rede TV, para desmentir que iria mexer na verba da Saúde.

Despudoramente ele quer aumentar o salário dos magistrados, do funcionalismo público, que possuem hospitais partiiculares, planos de saúde e até mesmo os parlamentares aposentadorias privadas pagas com o dinheiro dos impostos e coma Saúde que recebe atualmente 15% do rateio total de impostos da União, de acordo com que está aprovado na Constituição e a Educação que receberia 18% teria alteração e não haveria a garantia mínima de investimento federal nessas duas necessidades prementes dos brasileiros, que já estão perdendo empregos, renda e bem estar com a carestia dos preços inflacionados, e com recessão.

O mais bizarro, que esse homem, que haje como uma pessoa estranha até mesmo sem caráter, pois afirma em certo dia uma coisa, noutro desmente. Essa proposta é para 10 anos, há notícias de até 20 anos e quando a economia brasileira melhorar não assegura que a Saúde e Educação receberão os incentivos de 15 e 18% para fomentar o que ainda não está nem bom, como SUS e UBS e outros como Postos e Centros de Saúde, além dos hospítais estaduais e os custeados pelo SUS-Sistema Único de Saúde, que gerencia exames especializados e cirurgias pequenas, médias e as mais complexas. O plano Temer vai colocar o país nos anos de 1989 quando ninguém sabia quem custearia a Saúde através do SUS.

O corte deveria começar nos altos salários do governo, principalmente dos juízes, procuradores, e muitos funcionários públicos. Por exemplo, poderia se vender estatais que não tem receita e sim despesas. Também poderia se estudar de vender a Petrobrás, Banco do Brasil, Correios e Caixa Econômica Federal entre outras. Dimunuir ministérios e ministros, cargos de confiança, enxugar a máquina administrativa aos moldes de países desenvolvidos que são enxutos e rápidos na decisões que não ficam engessadas no Congresso.

Poderia ainda diminuir o número de deputados federais, estaduais e vereadores e muitas secretarias inoperantes que cabides de emprego. Enfim, o governo para cortar na Saúde e na Educação deveria corta primeiramente seus gastos para depois cortar os gastos sociais que são de suma importância para o país prosseguir no seu "sonho" totalmente exequível de prosperidade através do estudo, do trabalho e para isso é preciso de Saúde e Educação, é o mínimo que o Estado pode oferecer para o povo, pois este é quem vota e elege os governantes, ou o sr. Temer que é presidente sem ser eleito diretamente se esqueceu disso, o princípio fundamental da democracia unviersal.

"Todo poder emana do povo e pelo povo será exercido.".

Leia maishttp://dinheiropublico.blogfolha.uol.com.br/2016/06/15/proposta-de-teto-para-gasto-mira-saude-educacao-legislativo-e-judiciario/

Marcelo dos Santos - jornalista - MTb 16,539 SP/SP

Brasileiro consome açúcar demais, alerta especial do Idec

 
 
Instituto reúne dados sobre tema e traz orientações práticas para ajudar a população a reduzir o consumo excessivo da substância 
 
 
Nesta quarta-feira (15), o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) lança o Especial Açúcar que você não vê cujo o objetivo é alertar os consumidores sobre os perigos do consumo excessivo deste tipo de carboidrato. O material reúne infográficos e dados recentes sobre o assunto e aponta que o Brasil já é o 4º maior consumidor de açúcar (sacarose) no mundo, atrás de países como a China (3º), União Europeia (2º) e Índia (1º). 
 
Segundo explica a nutricionista do Instituto e responsável pelo material, Ana Paula Bortoletto, o consumo de açúcar adicionado em produtos ultraprocessados está aumentando no país, enquanto o açúcar de mesa diminui. “Os brasileiros têm consumido mais de 50% acima do limite recomendado pela Organização Mundial da Saúde, de até 10% das calorias da dieta”. As principais fontes são refrigerantes, doces, balas, biscoitos e chocolates. Uma lata de refrigerante de cola, por exemplo, contém 7,4 colheres de açúcar.
 
Por isso, o especial do Idec alerta para o consumo de açúcar “escondido” nos produtos. “É importante estar atento a lista de ingredientes, já que a substância pode ser mencionada com outros nomes como: glicose, maltodextrina, néctares, sacarose e outros”, declara a nutricionista. Ela ainda sugere que o consumidor opte pelos alimentos in natura ou minimamente processados, de acordo com as recomendações do Guia Alimentar para a População Brasileira. “Não troque comida feita na hora e fique com as sobremesas caseiras, dispense as industrializadas”, diz Bortoletto.
 
Outra dica é reduzir aos poucos a quantidade de açúcar, já que o paladar pode se adaptar a redução. Mas, na hora de substituir é preciso ter cuidado com os adoçantes. Não há evidência que essa substituição traga vantagens para a saúde e, assim, o paladar continua habituado ao sabor adocicado. “Isso estimula as pessoas, principalmente as crianças, a preferir alimentos com sabor mais doce”, completa a nutricionista.  
 
O Especial do Idec ainda traz orientações práticas com base nos direitos dos consumidores à informação clara e correta. “Esperamos sensibilizar a todos sobre o tema, destacando orientações que empodere a sociedade a realizar escolhas alimentares mais saudáveis”, finaliza a Bortoletto. 
 
Para conferir o Especial do Idec Açúcar que você não vê, acesse: 
 

Assista agora ao vivo a transmissão do INCA sobre câncer muito importante

Link para transmissão ao vivo:
 
https://www.youtube.com/watch?v=

PUC-SP e HC auxiliam pessoas comuns com dores crônicas podem participar do encontro



      Pessoas que sofrem de dores crônicas podem participar gratuitamente de simpósio sobre o tema, a ser realizado dia 6 de julho, no Centro de Convenções Rebouças.

  
  O evento é gratuito e fruto de parceria entre a PUC-SP e o Centro de Medicina da Dor do Hospital das Clínicas. O simpósio é voltado a pessoas comuns que sofrem com dores, aproximando este público de profissionais da área da saúde para ajudá-las a aumentar sua compreensão sobre diferentes tipos de dor, além de fornecer dicas de como aliviá-las.

     Ao longo do dia, profissionais da PUC-SP e do HC farão palestras com os temas “Aprendendo a lidar com a Dor Crônica”, “Descobrindo qual é a minha dor e como tratar diferentes diagnósticos: discussão médica”, “Como funciona a dor dentro do meu corpo?

 Mecanismos de ação da dor: discussão médico, fisioterapeuta e psicólogo”, “Colocando em práticas intervenções multidisciplinares: como a fisioterapia, nutrição e psicologia contribuem para melhor a dor?”, e “Utilizando a auto-hipnose para o alívio da minha dor”.

O “1º Simpósio pra pessoas com dores crônicas” integra o “VII Congresso Interdisciplinar da Dor, Cindor”. A programação completa de ambos está no site www.cindor.com.br.

Soluções para amenizar TPM dependem dos tipos de sintoma



Tema será abordado pela médica endocrinologista Alessandra Rascovski durante o ICAD Brazil 2016

Diferentes tipos de TPM desafiam as indicações para amenizar esse fenômeno que afeta a mulher nos dias que antecedem a menstruação. Segundo a endocrinologista Dra. Alessandra Rascovski, existem diferentes sintomas e abordagens terapeuticas para a Síndrome Pré-Menstrual, como é chamada na literatura médica: “Apesar de parecer que todas as mulheres sofrem com a TPM da mesma forma, os sintomas são diferentes de uma para a outra, e até de um mês para o outro”, afirma a médica, que apresentará a palestra "TPM: como amenizar" durante o ICAD Brazil 2016 – Congresso de Dermatologia Estética e Envelhecimento Saudável, que será realizado em São Paulo entre os dias 16 e 18 de junho.

A Dra. Alessandra divide a TPM em quatro diferentes tipos. “O Tipo A tem como sintomas principais ansiedade, irritabilidade, oscilação de humor”, afirma a palestrante. “O Tipo C se caracteriza pela compulsão por açúcar, fadiga e dores de cabeça, enquanto o Tipo H pela hiper-hidratação com inchaço, cólicas, ganho de peso e mamas doloridas, e o Tipo D resulta em depressão, confusão e perda de memória”.


Mas, segundo a endocrinologista, a TPM apresenta uma lista de sintomas gigantesca. Envolve depressão, pensamentos autodepreciativos, ansiedade, tensão, nervosismo, diminuição do interesse pelas atividades habituais, dificuldade de concentração, alteração no apetite, cansaço, falta de energia, problemas na qualidade do sono, tristeza repentina, choro fácil, carência afetiva, sensibilidade nas mamas e em outras partes do corpo, dores musculares, ganho de peso, agressividade, sensação de estar fora de controle, enjoos, enxaqueca, vômitos, excitação, problemas de pele...

“Ainda assim, para que esses sintomas sejam efetivamente considerados patológicos, é importante que interfiram nas atividades cotidianas da mulher e só ocorram na fase pré-menstrual e cessem totalmente após o sangramento menstrual, desaparecendo completamente alguns dias após”, ressalta a médica.

Para a Dra. Alessandra, existem muitas hipóteses para explicar as causas da Síndrome Pré-Menstrual, como é chamada na literatura médica. “A mais comum é que os hormônios sexuais, durante o ciclo menstrual, interferem no sistema nervoso central: alterações no estrogênio e na progesterona podem afetar os neurotransmissores, como a serotonina, e interferir no controle emocional, padrão alimentar e sono. Outros estudos apontam que deficiências nutricionais, como a de magnésio e das vitaminas A e B6, agravam os sintomas”, afirma.

“A forma grave de TPM é chamada de Disforia Pré-menstrual e afeta de 3 a 8% das mulheres. O tratamento vai de suplementos vitamínicos e fitoterápicos, medicamentos inibidores de receptação de serotonina e uso de anticoncepcionais, até inibição do ciclo menstrual. É uma doença que pode e deve ser tratada!”, afirma a palestrante.

Os três dias de programação do ICAD Brazil 2016  vão trazer não só novidades técnicas, mas também temas de interesse de médicos de atuação correlata ao evento e participantes dos anos anteriores, coletados por pesquisa respondida por mais de 150 especialistas.

O evento acontecerá no Centro de Convenções Frei Caneca, em São Paulo, de 16 a 18 de junho. As palestras estão divididas em três auditórios temáticos, o de Dermatologia Estética, Dermatologia Clínica e Cirúrgica, e Envelhecimento Saudável. 

Várias notícias sobre saúde: OMS reafirma que risco de propagação do vírus da zika é baixo durante Jogos, leia


jornal de saude
Atualização assim que ocorre 15 de junho de 2016


NOTÍCIAS


JC Online
Atraso na construção de UPA investigado pelo Ministério Público
Outrora vitrine do governo do PSB em Pernambuco, a nova rede de saúde virou alvo de investigações do Ministério Público. Um inquérito civil foi ...
Google Plus Facebook Twitter Sinalizar como irrelevante



Jornal de Negócios - Portugal
Brexit: Governo britânico antecipa aumentos de impostos
Orçamentos rectificativos atrás de orçamentos rectificativos, subidas de impostos em cascata, cortes drásticos na saúde e na educação: este é o ...
Google Plus Facebook Twitter Sinalizar como irrelevante

jornal de saude
Atualização assim que ocorre 15 de junho de 2016


NOTÍCIAS


VEJA.com
Ministério da Fazenda quer fim do aumento progressivo de verba para saúde
Na ocasião, integrantes da bancada da saúde chegaram a defender ... Horas depois de o jornal O Estado de S. Paulo revelar que a equipe ...
Google Plus Facebook Twitter Sinalizar como irrelevante



Jornal de Brasília (Assinatura)
Governo do DF promete resultados na Saúde em 45 dias
Grave bem este prazo para cobrar e fiscalizar: 45 dias. Na reunião de ontem com 10 deputados distritais para a apresentação do programa de ...
Google Plus Facebook Twitter Sinalizar como irrelevante



TSF Online
Imposto sobre bebidas açucaradas: indústria em silêncio
Em declarações recentes ao jornal "Expresso", o secretário de Estado Adjunto e da Saúde, Fernando Araújo, mostrou-se convencido que o imposto ...
Google Plus Facebook Twitter Sinalizar como irrelevante

jornal de saude
Atualização assim que ocorre 15 de junho de 2016


NOTÍCIAS


O Tempo
Bebidas muito quentes 'provavelmente' provocam câncer de esôfago
... anunciou nesta quarta-feira (15) a agência especializada em pesquisas de câncer da Organização Mundial da Saúde (OMS), que fez questão de ...
Google Plus Facebook Twitter Sinalizar como irrelevante

jornal de saude
Atualização assim que ocorre 15 de junho de 2016


NOTÍCIAS


JC Online
Brasileiros abrem mão do plano de saúde para equilibrar contas
Na luta para organizar as finanças em meio à recessão econômica, os brasileiros estão preferindo arriscar e abrir mão do plano de saúde. Mais de 1 ...
Google Plus Facebook Twitter Sinalizar como irrelevante



JC Online
Prefeito nomeia nesta quarta 118 profissionais para atuar na área de saúde da cidade
O prefeito Geraldo Julio recebe na manhã desta quarta-feira (15) mais de 118 novos profissionais nomeados para atuar na Rede de Saúde do Recife ...
Google Plus Facebook Twitter Sinalizar como irrelevante


Administração lança Programa de Bem Estar do Servidor Público
O projeto piloto contemplará os servidores da Secretaria de Administração que passarão por uma análise da saúde, de forma a identificar hábitos ...
Google Plus Facebook Twitter Sinalizar como irrelevante



Globo.com
Risco de turistas pegarem zika é o mesmo com ou sem Olimpíada, diz OMS
A Organização Mundial da Saúde (OMS) concluiu terça-feira (14), após reunião de seu comitê de emergência, que os riscos individuais de os turistas ...
Google Plus Facebook Twitter Sinalizar como irrelevante

jornal de saude
Atualização assim que ocorre 15 de junho de 2016


NOTÍCIAS


Jornal O Globo
OMS reafirma que risco de propagação do vírus da zika é baixo durante Jogos
RIO - A Organização Mundial da Saúde (OMS) ressaltou que é muito baixo o risco de propagação internacional do vírus zika nos Olímpicos e ...
Google Plus Facebook Twitter Sinalizar como irrelevante



Público.pt
Estado vende British Hospital e IMI a fundo. Preço gera polémica
Os alertas às Finanças de que os interesses do Estado não estavam a ser salvaguardados no dossier Galilei Saúde (que junta os activos do sector ...
Google Plus Facebook Twitter Sinalizar como irrelevante



JC Online
Doutores da Alegria comandam arraial no Imip
Por sua atuação pioneira no país em benefício à saúde pública, os Doutores da Alegria receberam certificação e reconhecimento internacional.
Google Plus Facebook Twitter Sinalizar como irrelevante   

Jornal de Saúde informa

Vamos estudar2: O ALEITAMENTO MATERNO: A IMPORTÂNCIA DA AMAMENTAÇÃO NA SAÚDE DA MÃE E DO BEBÊ

[PDF]   O ALEITAMENTO MATERNO: A IMPORTÂNCIA DA AMAMENTAÇÃO NA  SAÚDE  DA MÃE E DO BEBÊ AADEO ARAÚJO - 2018 …...

Jornal de Saúde