segunda-feira, 23 de maio de 2016

Gestão de Pacientes e Excelência no Atendimento ao Paciente: destaques na 36 ª Jornada Paulista de Cirurgia Plástica

Gestão de Pacientes e Excelência no Atendimento ao Paciente: destaques na 36 ª Jornada Paulista de Cirurgia Plástica


Workshop aborda a importância de atender bem o paciente. Consultora aponta as situações que são gatilhos de estrese para o paciente na sala de espera


Numa época em que os consultórios e clínicas não podem dispensar pacientes, as secretárias e recepcionistas se tornaram peças fundamentais para o bom funcionamento do negócio.

“E o que não pode ser deixado de lado é a qualificação dessas profissionais. É preciso que as funções da recepcionista e da secretária – muitas vezes, uma única pessoa desempenha as duas funções – sejam muito bem definidas. A preparação de uma boa secretária começa logo na seleção. E após a seleção, é importante que a profissional participe de cursos interpessoais e de seminários de capacitação profissional, onde aprenda a lidar com as características do mercado onde irá trabalhar”, afirma a consultora Márcia Wirth, que ministrará o Workshop Aumentando a Eficiência de Secretárias na Gestão de Clínicas e Consultórios, o evento acontece no dia 26 de maio, na capital paulista, como parte integrante da programação paralela da Jornada Paulista de Cirurgia Plástica.

Não adiantam todos os esforços de marketing, se ao ligar para marcar a consulta uma consulta o paciente se deparar com uma secretária despreparada. “Vamos imaginar a seguinte cena: o paciente apresenta-se na recepção da clínica. Após esperar alguns minutos, uma secretária mal humorada o leva até a sala de espera, onde ele tem que aguardar mais um pouco. Quando ele entra na sala do médico, já tem em mente uma impressão nada agradável deste profissional… Correto? Em quase 100% dos casos, sim. Todos nós, quando nos tornamos pacientes, procuramos mais do que uma consulta ou um medicamento. Queremos um ótimo consultório, num ótimo lugar, muito bem equipado, mas gerido e operado por seres humanos. Aprender a lidar com os pacientes, que são clientes com características próprias, é um diferencial no atendimento de consultórios e clínicas”, defende Márcia Wirth.

Situações que são gatilhos de estresse na sala de espera:

·         Paciente irritado com atraso na consulta e sem feedback apropriado da recepcionista/secretária sobre o seu horário de consulta;
·         Impaciência durante a espera pelo atendimento que não é amenizada, pois a sala de espera não é preparada adequadamente para acomodá-lo confortavelmente e ele fica cada vez mais impaciente;
·         Por chegar antes do horário marcado, o paciente deseja ser atendido antes do paciente que chegou depois dele, todavia, este segundo paciente está no horário correto dele. Ou seja, o primeiro paciente mencionado não tem clareza sobre os critérios de agendamento de consultas (É horário? É chegada? É a amizade com a secretária?);
·         Banheiros mal higienizados, malcheirosos, sem papel toalha, sem papel higiênico, com os cestos de lixo abarrotados, com os espelhos manchados e respingados de água;
·         Temperatura e som ambiente da sala de espera inadequados. A sala de espera deve ser preparada em função das necessidades do paciente. O ar condicionado, a televisão, a música, todos os elementos externos que interferem na espera devem ser ajustados em função do conforto do paciente;
·         Dificuldades para estacionar. Consultórios e clínicas devem contar com serviços de manobrista e valet. Parcerias para oferta de cortesias e descontos devem ser firmadas pelos consultórios e clínicas;
·         Qualidade do café, do chá, da água e do café da manhã (caso de laboratórios de exames clínicos) ofertado aos pacientes. Nenhum estabelecimento comercial é obrigado a oferecer nada a seus clientes, mas se a opção for por oferecer, é necessário optar por produtos de qualidade, para evitar que a cortesia se transforme num outro problema de atendimento que deponha contra o negócio;
·         Ausência de revistas (novas e de interesse do público) à disposição dos pacientes, bem como a não disponibilização de uma senha de WI-FI destinada exclusivamente aos pacientes.


Importância do treinamento

Márcia Wirth destaca que o paciente sempre chega ao consultório sob tensão ou repleto de expectativas.  “Seu contato inicial será com a recepcionista ou com a secretária, responsáveis pela impressão que ele estabelecerá do médico que ainda nem conheceu. Por isto, quem está na linha de frente, quem lida com o paciente, precisa estar muito bem treinado e motivado. Este profissional deve gostar do seu trabalho e de lidar com o público. Discutir a gestão dos pacientes e a excelência no atendimento são necessidades prementes dos consultórios e das clínicas médicas hoje”, diz


Workshop aborda a importância de atender bem o paciente. Consultora aponta as situações que são gatilhos de estrese para o paciente na sala de espera


Numa época em que os consultórios e clínicas não podem dispensar pacientes, as secretárias e recepcionistas se tornaram peças fundamentais para o bom funcionamento do negócio.

“E o que não pode ser deixado de lado é a qualificação dessas profissionais. É preciso que as funções da recepcionista e da secretária – muitas vezes, uma única pessoa desempenha as duas funções – sejam muito bem definidas. A preparação de uma boa secretária começa logo na seleção. E após a seleção, é importante que a profissional participe de cursos interpessoais e de seminários de capacitação profissional, onde aprenda a lidar com as características do mercado onde irá trabalhar”, afirma a consultora Márcia Wirth, que ministrará o Workshop Aumentando a Eficiência de Secretárias na Gestão de Clínicas e Consultórios, o evento acontece no dia 26 de maio, na capital paulista, como parte integrante da programação paralela da Jornada Paulista de Cirurgia Plástica.

Não adiantam todos os esforços de marketing, se ao ligar para marcar a consulta uma consulta o paciente se deparar com uma secretária despreparada. “Vamos imaginar a seguinte cena: o paciente apresenta-se na recepção da clínica. Após esperar alguns minutos, uma secretária mal humorada o leva até a sala de espera, onde ele tem que aguardar mais um pouco. Quando ele entra na sala do médico, já tem em mente uma impressão nada agradável deste profissional… Correto? Em quase 100% dos casos, sim. Todos nós, quando nos tornamos pacientes, procuramos mais do que uma consulta ou um medicamento. Queremos um ótimo consultório, num ótimo lugar, muito bem equipado, mas gerido e operado por seres humanos. Aprender a lidar com os pacientes, que são clientes com características próprias, é um diferencial no atendimento de consultórios e clínicas”, defende Márcia Wirth.

Situações que são gatilhos de estresse na sala de espera:

·         Paciente irritado com atraso na consulta e sem feedback apropriado da recepcionista/secretária sobre o seu horário de consulta;
·         Impaciência durante a espera pelo atendimento que não é amenizada, pois a sala de espera não é preparada adequadamente para acomodá-lo confortavelmente e ele fica cada vez mais impaciente;
·         Por chegar antes do horário marcado, o paciente deseja ser atendido antes do paciente que chegou depois dele, todavia, este segundo paciente está no horário correto dele. Ou seja, o primeiro paciente mencionado não tem clareza sobre os critérios de agendamento de consultas (É horário? É chegada? É a amizade com a secretária?);
·         Banheiros mal higienizados, malcheirosos, sem papel toalha, sem papel higiênico, com os cestos de lixo abarrotados, com os espelhos manchados e respingados de água;
·         Temperatura e som ambiente da sala de espera inadequados. A sala de espera deve ser preparada em função das necessidades do paciente. O ar condicionado, a televisão, a música, todos os elementos externos que interferem na espera devem ser ajustados em função do conforto do paciente;
·         Dificuldades para estacionar. Consultórios e clínicas devem contar com serviços de manobrista e valet. Parcerias para oferta de cortesias e descontos devem ser firmadas pelos consultórios e clínicas;
·         Qualidade do café, do chá, da água e do café da manhã (caso de laboratórios de exames clínicos) ofertado aos pacientes. Nenhum estabelecimento comercial é obrigado a oferecer nada a seus clientes, mas se a opção for por oferecer, é necessário optar por produtos de qualidade, para evitar que a cortesia se transforme num outro problema de atendimento que deponha contra o negócio;
·         Ausência de revistas (novas e de interesse do público) à disposição dos pacientes, bem como a não disponibilização de uma senha de WI-FI destinada exclusivamente aos pacientes.


Importância do treinamento

Márcia Wirth destaca que o paciente sempre chega ao consultório sob tensão ou repleto de expectativas.  “Seu contato inicial será com a recepcionista ou com a secretária, responsáveis pela impressão que ele estabelecerá do médico que ainda nem conheceu. Por isto, quem está na linha de frente, quem lida com o paciente, precisa estar muito bem treinado e motivado. Este profissional deve gostar do seu trabalho e de lidar com o público. Discutir a gestão dos pacientes e a excelência no atendimento são necessidades prementes dos consultórios e das clínicas médicas hoje”, diz

Medicamentos vencidos são encontrados em sala da Secretaria de Saúde de Parobé


jornal de saude
Atualização assim que ocorre 23 de maio de 2016

NOTÍCIAS


Panorama

jornal de saude
Atualização assim que ocorre 23 de maio de 2016

NOTÍCIAS


Panorama
Medicamentos vencidos são encontrados em sala da Secretaria de Saúde de Parobé
O vereador Picucha disse ao Jornal Panorama que foi acionado, por meio de ... O vereador disse uma funcionária da Secretaria de Saúde chegou a ...
Google Plus Facebook Twitter Sinalizar como irrelevante
O vereador Picucha disse ao Jornal Panorama que foi acionado, por meio de ... O vereador disse uma funcionária da Secretaria de Saúde chegou a ...
Google Plus Facebook Twitter Sinalizar como irrelevante

Glaucoma é a principal causa de cegueira irreversível no mundo

Glaucoma é a principal causa de cegueira irreversível no mundo

Paciente deve fazer consultas oftalmológicas anuais de rotina que incluam a medida da pressão intraocular e exame de fundo de olho



Belo Horizonte, maio de 2016 - O glaucoma é o principal responsável por casos de cegueira permanente em todo do mundo. Apesar de as estimativas apontarem que cerca de 2% da população brasileira que já passou dos 40 anos tenha algum tipo de glaucoma, a Associação Mundial de Glaucoma acredita que esse número possa ser até 50% maior, uma vez que a doença é assintomática.
O glaucoma é uma lesão no nervo ótico, causada principalmente pela alta pressão dentro do globo ocular. Como o nervo óptico é o responsável por levar os impulsos visuais até o cérebro, se não tratada prematuramente, a doença pode comprometer a visão.
O que torna o glaucoma tão perigoso é justamente o fato de ser assintomático no início, condição que pode explicar a demora do paciente em procurar tratamento. Uma pesquisa recente da Associação Brasileira de Glaucoma revelou que 80% dos brasileiros com o problema só procuram o oftalmologista depois de já terem sofrido algum dano irreversível.
Esse foi o caso do advogado Ito de Souza Vieira, 75. “Passei quatro ou cinco anos sem ir ao oftalmologista. Quando o procurei para fazer uma cirurgia de catarata, descobri o glaucoma”, explica. Ele conta que já perdeu campo de visão, " minha visão periférica é borrada" comenta o advogado.

Apesar de ter uma irmã portadora do glaucoma,  Ito Vieira nunca imaginou que pudesse desenvolver a doença também. “Vivi anos com ele (glaucoma) e nunca senti nada de diferente nos olhos. Além disso, não percebi logo a perda da visão, pois a catarata mascarava um pouco o problema”, afirma.
Mas o fato de ter um familiar com o problema já é motivo de alerta, segundo a oftalmologista Daniela Silveira de Faria, oftalmologista do departamento de glaucoma do Centro Oftalmológico de Minas Gerais (COMG). O histórico familiar é um dos fatores de risco para a doença.

Além disso, o paciente deve ficar ainda mais atento caso tenha idade avançada, seja de raça negra, tenha alto grau de miopia e tenha pressão do olho elevada. “Esse último (pressão) é o único fator sobre o qual podemos interferir de alguma forma”, comenta a médica.

Como as lesões causadas no nervo óptico pela hipertensão intraocular são irreversíveis, o melhor caminho é o diagnóstico precoce do problema para que haja o início imediato do tratamento para controle da doença. “A pessoa deve fazer uma consulta anual com seu oftalmologista na qual devera ser  realizado sempre exame de fundo de olho e a medida da pressão ocular”, recomenda Daniela. Esses exames são feitos pelo próprio médico no consultório, são procedimentos rápidos e indolores.

Caso seja diagnosticado glaucoma, o controle normalmente é feito com colírios. “Hoje em dia, o colírio já é parte da minha rotina. Uso diariamente, pela manhã e à noite”, conta  Ito Vieira. Para os casos em que a medicação não adianta, há ainda procedimentos à laser e cirurgia. “Mas os casos cirúrgicos são  mais raros atualmente”, garante a doutora.

Começa 69ª Assembleia Mundial da Saúde com representantes de 169 países


jornal de saude
Atualização assim que ocorre 23 de maio de 2016

NOTÍCIAS


D24am.com


jornal de saude
Atualização assim que ocorre 23 de maio de 2016

NOTÍCIAS


D24am.com

Começa 69ª Assembleia Mundial da Saúde com representantes de 169 países
A 69ª sessão da Assembleia Mundial da Saúde começou nesta segunda-feira (23) em Genebra, na Suíça. A expectativa é que o evento, coordenado ...
Google Plus Facebook Twitter Sinalizar como irrelevante
A 69ª sessão da Assembleia Mundial da Saúde começou nesta segunda-feira (23) em Genebra, na Suíça. A expectativa é que o evento, coordenado ...
Google Plus Facebook Twitter Sinalizar como irrelevante

Cortes na saúde em tempo de crise elevam risco de epidemias, dizem especialistas


jornal de saude
Atualização assim que ocorre 23 de maio de 2016

NOTÍCIAS


JC Online
Cortes na saúde em tempo de crise elevam risco de epidemias, dizem especialistas
Cortes no Sistema Único de Saúde (SUS) colocam em risco a saúde da população, afirmam especialistas que participaram, na noite de domingo (22) ...
Google Plus Facebook Twitter Sinalizar como irrelevante


Jornal O Globo
ONGs antiobesidade recomendam dieta rica em gorduras
É um risco para a saúde do país quando vozes influentes sugerem que as pessoas devem consumir dieta rica em gorduras, especialmente as ...
Google Plus Facebook Twitter Sinalizar como irrelevante


Jornal Floripa
Caravana da Saúde já realizou 100 mil procedimentos em Campo Grande
A Caravana da Saúde – programa do governo do Estado – realizou 100 mil procedimentos em Campo Grande, no período entre o dia 10 e 20 de ...
Google Plus Facebook Twitter Sinalizar como irrelevante

37º Congresso da SOCESP terá mesa-redonda sobre arritmias cardíacas em motoristas privados e profissionais

37º Congresso da SOCESP terá mesa-redonda sobre arritmias cardíacas em motoristas privados e profissionais 


Evento ocorre na sexta-feira, 27 de maio, no auditório 2 do Transamerica Expo Center, entre 11h e 12h30, no Congresso da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo (SOCESP)

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), cerca de 1,25 milhão de pessoas morrem todos os anos no mundo em decorrência de acidentes de trânsito. É comum profissionais de saúde se depararem com a difícil tarefa de terem de decidir se pacientes que dirigem podem ou não voltar ao volante depois de algum tipo de arritmia ou outra doença cardíaca.
“A grande preocupação com a saúde dos motoristas está relacionada não somente com a vida deles, mas também com a das outras pessoas que poderão ser vítimas de um acidente provocado por eles”, explica o Dr. Enrique Pachón, médico especialista em arritmias e um dos participantes da mesa do Congresso da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo (SOCESP).
Segundo a Associação Brasileira de Medicina do Tráfego (Abramet), aproximadamente 4% dos acidentes com mortes são causados por doenças do motorista e problemas cardiológicos são considerados um dos principais motivos de mal súbito. Por isso, discutir como agir em casos de síncope, arritmias ventriculares, taquicardias supraventriculares e com portadores de marcapasso e CDI se torna uma discussão muito relevante.
Em 2009, o Departamento de Polícia Rodoviária Federal avaliou 8.200 motoristas profissionais (caminhões e ônibus) e concluiu que 44% estavam dirigindo em más condições de saúde, apresentando quadros de hipertensão, alterações da glicose, sonolência (carga horária excessiva) e uso de medicamentos impróprios. Conforme relata o especialista, esses medicamentos, geralmente estimulantes causam uma sobrecarga ao coração e aumento da pressão arterial, culminando com um infarto ou arritmia fatal.
Ele ainda ressalta que a maioria dos acidentes automobilísticos têm relação com problemas de saúde, agravando ainda mais o quadro e a necessidade da prevenção. "Estudo realizado no Brasil pelo IPEA (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), chegou à conclusão que 23% dos acidentes automobilísticos têm relação com problemas de saúde, superando o número de mortes por tumores e por causas externas, por exemplo”. Daí a necessidade de ampliar a troca de experiências sobre como tratar quem teve intercorrências no coração, mas não deseja abandonar a direção.

Mesa-redonda: Arritmias cardíacas no motorista privado e profissional: quando é seguro liberar para dirigir?

Sexta-feira, 27 de maio, das 11h às 12h30
Auditório 2 do Transamerica Expo Center
Programação
11:00 – 11:15 Após episódio de Síncope
11:15 – 11:30 Em pacientes com arritmias ventriculares (TV, canalopatias)
11:30 – 11:45 Em pacientes com taquicardias supraventriculares (TPSV, FA)
11:45 – 12:00 No portador de marcapasso e CDI
12:00 – 12:15 Discussão
Programação 
http://www.socesp2016.com.br/arquivos/programa-preliminar-socesp-2016-1.0.pdf

Serviço:
XXXVII Congresso da SOCESP (Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo) 
Data: 26 a 28 de maio
Local: Transamerica Expo Center
Endereço: Av. Dr. Mário Villas Boas Rodrigues, 387 - Santo Amaro - CEP 04757-020
Acesso pela Av. das Nações Unidas (Marginal Pinheiros), Ponte Transamérica
Informaçõeshttp://www.socesp2016.com.br/
Credenciamento Imprensa: (11) 3675-5444 (Rodrigo Freitas/ Geraldo Campos)

Congresso de Cardiologia em São Paulo contará com sessão gastronômica





 
Nos próximos dias 26, 27 e 28 de maio, a Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo (SOCESP) realizará o seu 37º Congresso. O evento contará com uma sessão de gastronomia, que será realizada no Simpósio de Nutrição, no dia 26, e contará com a apresentação da nutricionista e culinarista Cinthya Maggi. Este ano, o tema abordado no cardápio será “Compostos Bioativos na Prática Culinária”.
O cardápio foi escolhido por Cynthia Maggi, juntamente com a nutricionista consultora da empresa Linea Alimentos, Elaine Moreira, e aprovado pelo Departamento de Nutrição da SOCESP. Durante a sessão, os participantes poderão presenciar a execução das receitas e, no final, terão a oportunidade de degustar os pratos.
O consumo de alimentos ricos nesses componentes tem sido recomendado na prática clínica. Os estudos epidemiológicos associam a ação desses elementos com a prevenção das doenças cardiovasculares, por possuírem ação antioxidante, anti-inflamatória e antitrombótica. A sessão tem o apoio da empresa Linea Alimentos.

Sobre Cinthya Maggi
Nutricionista formada pela Universidade Anhembi Morumbi, com pós-graduação em Nutrição Clínica na faculdade São Camilo, atuou nas várias áreas de culinária, tendo participado de programas de televisão, cursos, palestras e treinamentos. Sua empresa atua na área de consultoria nutricional e culinária e sua visão é mostrar a importância de uma alimentação saudável, enaltecendo as propriedades nutritivas e as várias combinações de alimentos para a qualidade da vida. Sua experiência pode ser comprovada nos vários livros publicados e também em revistas na área de culinária light e diabetes.

Jornal de Saúde informa

Até quando juiz poderá passar por cima da Constituição do STF e soltar liminar que fere o Direito de expressão e a liberdade de imprensa?

Grande equívoco de juiz, ao proibir a Globo de noticias matérias do processo do Assassinato de Mariele Franco e Anderson Gomes. Não podemo...

Jornal de Saúde