quinta-feira, 14 de abril de 2016

O papel do homem na paternidade


Psicóloga fala sobre a divisão de funções na criação dos filhos 

Ainda que um filho seja responsabilidade dos pais, pela capacidade atribuída à mulher de gerar um bebê, as pessoas acabam passando todas as dúvidas e preocupações para a mãe e deixam com o que o pai fique em segundo plano. Esses pais adquirem características diferentes quando o assunto é a criação dos filhos.
 
De acordo com a psicóloga Carla Ribeiro, “a própria mulher acaba fazendo com que o papel do pai seja menos visto por conta dos hormônios muitas vezes, pois o feto está em desenvolvimento dentro do seu corpo. Alguns pais veem a necessidade de responder prontamente as questões referentes ao bebê juntamente com a mãe, mas a maioria acredita que a mãe é um fator mais importante”.
 
Mas como o homem reage à gravidez e ao nascimento do filho? Para a psicóloga, a cabeça do homem passa por um misto de felicidade, medo e inúmeras responsabilidades, o que é natural. Uma das questões mais importantes referentes a esse período é a preocupação do homem em relação ao seu espaço com a mulher. Lógico, o pai não quer parecer egoísta, mas querendo ou não, quando a mulher engravida e depois que ela dá a luz, o casal não tem mais o mesmo tempo para ficar juntos.
 
Tanto o homem como a mulher constroem esse sentimento e ideia de ser pai e mãe. O homem aprende isso conforme cada movimento da gestação, como os ultrassons, os “chutes” do bebê, o crescimento do feto no útero da mulher. O pai tem diversas responsabilidades nesse período também, ajudando a escolher a maternidade, que tipo de parto o casal (ou a mulher) deseja, o enxoval do bebê, por exemplo. A mulher já nasce com o instinto materno, mas o pai também penso muito sobre as necessidades que a criança terá em relação ao seu papel de pai. 
 
Após a chegada de um filho, o homem se sente mais homem com os deveres de ser pai. “Nesse processo o homem se sente orgulhoso, pois aquele filho será uma parte dele, que necessitará de atenção, responsabilidade, carinho e amor, por se tratar de um bebê, de um ser indefeso que precisa do papel do pai para protegê-lo”, diz a psicóloga. Além disso, um bebê consequentemente mexe com as finanças do casal, por isso o homem tende a sentir-se responsável pelas oportunidades que dará ao filho, que ele não pode falhar e deve prezar por sua responsabilidade.
 
O homem que tem o interesse de cuidar do bebê juntamente com a mãe desenvolve inúmeras habilidades. É nesse contato que ele tem a chance de aprender a cuidar da criança de maneira responsável, com delicadeza e sutileza, já que se trata se um ser tão pequeno e frágil. “A relação do bebê com o pai ensina muitas coisas também, na convivência, a ter paciência, tolerância, pois o bebê chora de madrugada, sente cólica, adoece, ou seja, precisa da dedicação integral dos pais durante 24 horas do dia”, aponta Carla.
 
Mas apesar da pressão feita sobre a mulher e a consequente imagem de que o pai não tem a mesma preocupação com a criança do que as mães, de acordo com a profissional, hoje existem muito mais pais presentes do que antes, que dão bastante ênfase na presença da vida dos filhos desde pequenos. Alguns pais têm até uma preocupação maior se comparado às mães, pois desdobram-se para levar/buscar as crianças na escola, levar à igreja, ir às reuniões escolares, juntamente com a mãe ou não. “Infelizmente não é um movimento de todos, pois alguns pais estão inibidos no pensamento de “a mulher faz melhor”, mas não tem quem faz melhor, e sim quem quer fazer”, afirma a profissional. Na verdade, a responsabilidade não é de um ou de outro, é dos dois.
 
As tarefas dos pais podem ser divididas durante o dia, para que um não desempenhe mais ou ache o outro faça melhor. A criança cresce aprendendo que a figura masculina e feminina tem uma diferença considerável. A figura da mulher, como mãe principalmente, é vista como um ser angelical, próprio da maternidade, que oferece o corpo para o desenvolvimento e o alimento para o crescimento da criança, que desenvolve uma ligação muito grande com essa mãe. “Quando a criança cresce e constitui a sua formação cognitiva, ela percebe que ela e a mãe não são mais a mesma pessoa”, segundo Carla. A amamentação natural possibilita apenas à mulher esse contato com o filho, que pode acontecer com o pai ao amamentar com a mamadeira, tornando-se tão presente quanto à mãe nessa fase. O pai pode participar juntamente com a mãe nesses momentos de amamentação, pegando na mão da criança, fazendo carinho e pelo toque, por exemplo, a criança percebe que existe uma terceira pessoa, que é o pai. O pai também pode fazer algumas atividades com o bebê para que a mãe possa descansar e a criança perceba que a simbiose que tem com a mãe, essa necessidade e dependência, acaba com o tempo. Além disso, o homem sente-se orgulhoso enquanto pai ao ouvir o bebê chamando-o de pai e reconhecendo o seu papel na criação dele.
 
Sendo assim, Carla Ribeiro faz um alerta para as mamães: é preciso permitir a entrada desse pai na vida do bebê e na relação com ele. A mãe não pode esquecer que este pai também tem responsabilidades com o bebê, mesmo que ele execute as atividades diferente da maneira que ela faz. O que comumente acontece é a mulher considerar que ela sabe fazer melhor ou tem medo que o marido não faça do seu jeito, o que gera um estresse maior, um cansaço e esgotamento do corpo, que acaba passando para o casamento e para o bebê também.

Os ratos e traidores já loteiam o governo: Jornal Extra Temer quer levar Serra para a Saúde e Armínio Fraga na Fazenda


jornal de saude
Atualização assim que ocorre  14 de abril de 2016
NOTÍCIAS

Saúde centraliza debates na Câmara
Cleber também disse acreditar que o aumento do número de postos de saúde não resolverá os problemas que a população enfrenta nesta área.
Google PlusFacebookTwitterSinalizar como irrelevante
Jornal Extra

Temer quer levar Serra para a Saúde e Armínio Fraga na Fazenda


Segundo o jornal O Globo, Temer que trazer o senador José Serra (PSDB), para comandar o Ministério da Saúde. No Ministério da Fazenda, ...
Google PlusFacebookTwitterSinalizar como irrelevante
Globo.com

Distrito Federal adianta vacinação contra H1N1 para a próxima segunda-feira
Serão vacinadas crianças de 6 meses a 5 anos, gestantes, mulheres com até 45 dias pós-parto e os trabalhadores de saúde das redes pública e ...
Google PlusFacebookTwitterSinalizar como irrelevante
Jornal Extra

Ex-PM morto em troca de tiros com amante da mulher pegou arma do pai militar sem que ele ...
Baleado na cintura, Leonardo continua internado na mesma unidade desaúde, em situação estável. A DH ainda apura quem disparou primeiro, mas, ...
Google PlusFacebookTwitterSinalizar como irrelevante

Alimentação saudável na infância pode prevenir a Doença Renal na fase adulta



Especialistas da Pró-Rim alertam sobre a importância dos hábitos saudáveis para prevenção de problemas renais graves

Todo mundo sabe, que a alimentação saudável é importante desde cedo, pois ela é fundamental para manter uma boa qualidade de vida e prevenir infecções e doenças na vida adulta. Além disso, a alimentação é importante para o crescimento e desenvolvimento de crianças nos primeiros anos de vida.

As principais causas da Doença Renal Crônica da população geral são o Diabetes e a Hipertensão Arterial, causadas especialmente pela obesidade e falta de hábitos saudáveis. As maiores causas da falência dos rins e da necessidade de hemodiálise são o Diabetes e a Hipertensão Arterial, ambos, causados especialmente pela obesidade e pela falta de hábitos alimentares e de atividades física. Práticas que podem ser adquiridas desde a infância. 

A Pró-Rim alerta que os hábitos saudáveis na infância são fatores fundamentais para prevenir a Doença Renal Crônica. “Atitudes saudáveis que podem ser aprendidas na infância impedem positivamente o aumento da incidência de diabéticos, hipertensos e doentes renais no futuro”, relata Dr. Artur Wendhausen, nefro pediatra da Pró-Rim. “Está muito claro que hoje o consumo acentuado de sódio, a baixa ingestão de água e a falta de atividade física regular têm influenciado no metabolismo das crianças, causando o surgimento de alterações da função renal e problemas cardiovasculares. Salgadinhos e alimentos industrializados estão entre os principais vilões”, alerta o especialista.

Segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) e do Ministério da Saúde, uma a cada três crianças brasileiras entre cinco e nove anos está acima do peso. Causada pela falta de atividade física e alimentação rica em gordura, açúcares e alimentos industrializados, a obesidade infantil atinge 16,6% dos meninos e 11,8% das meninas do País.

Alimentação saudável

A alimentação saudável começa em casa. Pais que se alimentam de forma adequada em casa dão o exemplo para seus filhos. E, na escola, como garantir que os filhos estão se alimentando bem? Alguns exemplos cotidianos de hábitos saudáveis e prevenção são os lanches enviados aos filhos em período escolar.

A nutricionista da Pró-Rim Jyana Gomes Morais Campos dá dicas importantes aos pais para preparar lancheiras saudáveis aos seus filhos. 

•          Nem tudo que é mais prático, é o melhor para o seu filho se alimentar;

•          Evitar sucos de caixinha, produtos industrializados, achocolatados, refrigerantes, bolachas recheadas, bolos prontos de pacotinho. Tudo que é muito industrializado, muito prático e pronto para consumo, também tem muita adição de conservantes, sódio e gordura;

•          Optar por frutas, tentando sempre variar no tipo, pois cada uma possui uma propriedade que seu filho precisa;
•          Sucos naturais são boas opções de líquidos. Mas vale lembrar que sucos feitos das frutas e papinha de frutas não precisam ser adoçados, pois o sabor da fruta já é doce e é com este sabor natural que a criança deve se acostumar;

•          Outra opção saudável são os sucos integrais encontrados nos mercados, eles também não levam adição de açúcar;

•          Bolos secos (sem recheio e sem cobertura) também podem ir nas lancheiras dos pequenos de vez em quando. Uma ótima opção são os bolos integrais, fáceis de fazer e também de encontrar;

•          Nunca enviar salgados fritos. Sanduíches feitos em casa são uma boa opção, mas cuidado com pastas e patês que levam maionese costumam estragar com muita facilidade devido ao calor, prefira queijo branco, com um pouco de manteiga ou requeijão no pão. Além disso, troque o pão branco por pães integrais;

•          Em caso de crianças com alterações na glicose e colesterol deve-se sempre procurar uma orientação nutricional e nunca seguir dietas prontas encontradas na internet, o atendimento nutricional é individualizado e de acordo com a necessidade de cada um.




Dilma sanciona Lei da púluoa contra câncer de fosfoetonolamina

Quem aguardava o pior de um estudo de 20 anos de luta deve comemorar a assinatura da Lei que permite o uso do medicamento para câncer que ainda está em estudo e deverá ser analisado até mesmo no exterior. A Fosfoetanolamina do professor Chierice foi aprovada, mas reprovada por testes, que os meios de comunicação erronemanete insistem em dizem que não tem efeito sobre o câncer, mas ao contrário, as pesquisas evidenciaram que não tem alto teor de fosfoetanolamina, mas que age em alguns casos de câncer.

Mas, precisam de testes, por exemplo de 2 a 3 mil pessoas, precisa de teste em laboratórios com melhores condições de análise que os brasileiros.


O Tempo

Dilma sanciona lei que libera o uso da 'pílula do câncer'
A decisão ocorre mesmo após pareceres contrários do Ministério da Saúde, da Ciência e Tecnologia e da própria Anvisa, entre outros órgãos, que ...
Google Plus Facebook Twitter Sinalizar como irrelevante


'Faltava a formalização', diz Ministério da Saúde


O diretor de Vigilância de Doenças Transmissíveis do Ministério da Saúde, Cláudio Maierovitch ... As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.
Google Plus Facebook Twitter Sinalizar como irrelevante



Globo.com

Piauí já notificou 154 casos de microcefalia, diz Ministério da Saúde
Dados são do boletim divulgado pelo Ministério da Saúde na terça-feira (12). Boletim mostrou que foram confirmados 72 casos de microcefalia no ...
Google Plus Facebook Twitter Sinalizar como irrelevante

18ª CAMPANHA NACIONAL DA VOZ RECEBE O DUBLADOR WENDEL BEZERRA

Com o slogan “Afine sua saúde. Cuide da sua voz!”, evento alerta para as doenças que afetam o aparelho fonador e aborda a importância da saúde vocal
  No dia 16 de abril, o Parque do Ibirapuera, em São Paulo, receberá a 18ª Campanha Nacional da Voz. O evento faz parte das comemorações do Dia Mundial da Voz, celebrado em 16 de abril, e promoverá atividades educativas e intervenções culturais gratuitas para a população alertando sobre os cuidados com a saúde vocal e o aparelho fonador.

No local, o público poderá assistir e participar de um workshop com o dublador Wendel Bezerra, às 12h, que falará sobre sua carreira e o mercado de trabalho do dublador no Brasil. Personagens famosos como Bob Esponja, o vampiro Edward Cullen, Goku e Jackie Chan são uma pequena amostra do imenso trabalho dele. Além disso, serão realizadas apresentações de flash mob com dez artistas cantando um mix de sucessos no estilo acapella.

O evento contará ainda com uma cabine acústica interativa, das 9h às 17h, onde serão executadas atividades lúdicas dando a oportunidade de conhecimento sobre a importância da voz, como narrar lances de uma partida de futebol, cantar no karaokê e dar notícias no estilo do rádio.  Também poderão participar de uma batalha de beat box com a presença de oito beatboxers competindo entre si, às 15h.

Reconhecida internacionalmente, a campanha é promovida desde 2003 pela Academia Brasileira de Laringologia e Voz (ABLV) em parceria com a Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial (ABORL-CCF). Pelo sétimo ano consecutivo, tem a coordenação do Dr. Gustavo Korn. "Por meio de ações de orientação e conscientização, promovemos uma sensibilização permanente em relação aos cuidados com a voz. A iniciativa tem por finalidade reforçar essa mensagem constantemente. Cada ano da nossa campanha é um tijolo na grande construção do que estamos fazendo", destaca o otorrinolaringologista.

A voz é a principal ferramenta da comunicação humana, mas nem sempre os problemas que ela pode apresentar são levados a sério. Segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA), o câncer de laringe representa cerca de 25% dos tumores malignos que acometem a região da cabeça e pescoço e 2% de todas as doenças malignas. A estimativa do INCA é que, em 2016, sejam registrados 7.350 novos casos, sendo 6.360 em homens e 990 em mulheres.

A Campanha Nacional da Voz também conta com o patrocínio de Strepsils, marca especialista em dor de garganta e única pastilha que contém flurbiprofeno, princípio ativo que combina a ação anti-inflamatória com analgésica. “É com muita satisfação que apoiamos essa iniciativa através da parceria com a ABORL-CCF/ABLV que demonstra claramente o quanto é essencial manter a saúde da garganta em dia”, explica Marisa Cazassa, gerente da marca pela RB, comercializadora da marca no Brasil.

Orgasmo feminino: como saber se você já chegou lá?

Orgasmo feminino: como saber se você já chegou lá?
Por Tatiana Leite
Ver estrelas, subir pelas paredes, revirar os olhos de prazer. É difícil encontrar uma mulher que não deseje essas sensações em seu relacionamento. Contudo, por mais que seja muito buscado, o orgasmo ainda é visto como um grande tabu e a experiência quase extracorpórea descrita em filmes e revistas faz com que muitas mulheres se questionem se de fato já conseguiram chegar lá ou não. Mas, afinal, como saber?

Muitas vezes, nos sentimos culpadas por não atingir o tão esperado orgasmo. Porém, isso pode acontecer por diferentes motivos, principalmente por se tratar de um assunto que causa tantas dúvidas e é rodeado por inúmeros mitos e tabus. Geralmente, essas falsas crenças relacionadas a sexo, sexualidade, masturbação e orgasmo são cultivadas por pessoas que tiveram uma educação mais rígida, Em tempos quando ainda não se conversava abertamente sobre esses temas. É comum, por exemplo, ouvirmos relatos de mulheres que se sentem bloqueadas e ansiosas durante a relação, por terem vergonha ou até mesmo receio sobre o que o parceiro pode pensar sobre suas fantasias e desejos sexuais e, por isso, preferem fingir que chegaram ao orgasmo, quando na verdade não sentiram. 

De acordo com uma pesquisa realizada pelo Projeto de Sexualidade da USP (ProSex), aproximadamente 50% das brasileiras possuem dificuldade para atingir o clímax na relação sexual, por motivos como vergonha, receio e até por falta de conhecimento do próprio corpo. Em outros casos, o que atrapalha é a preocupação em fazer com que o parceiro sinta prazer e consiga atingir o auge na relação sexual, fazendo com abdiquem da sua própria satisfação para impressioná-lo ou por medo de perdê-lo. 

Nesse momento, podemos identificar outro problema comum nas relações amorosas que é a preocupação excessiva com a performance. A ansiedade focada no desempenho ou no objetivo final de atingir o orgasmo pode fazer com que deixamos de nos entregar as sensações do encontro sexual. Essa atitude pode levar a um distanciamento cada vez maior do prazer de ter um orgasmo, causando consequências negativas para sua autoestima e comprometendo sua relação a dois. 

Agora, vamos ao que interessa! Para atingir o orgasmo nós mulheres precisamos de uma quantidade de sangue na região pélvica, bem maior que os homens precisam para a ereção. Por esse motivo, levamos mais tempo para estarmos excitadas e com a vagina lubrificada nos preparando para a penetração. Para que você consiga chegar lá é importante estabelecer uma boa comunicação sexual, converse com seu parceiro, descubra com ele o que te traz mais satisfação, o orgasmo costuma acontecer quando você se entrega, se envolve na hora do sexo. Para isso, é necessário sintonia, cumplicidade e muita intimidade sexual. Explore as zonas erógenas, perceba o toque, a respiração, os sons, o cheiro e o ambiente. Assim, quando você menos esperar o orgasmo virá!

Vale lembrar que preliminares, caricias, palavras românticas e eróticas e o estimulo a outras partes do corpo, como coxas e costas, antes de chegar no clitóris, são fundamentais para a excitação e o prazer na hora do sexo.
Uma coisa é certa quando você chegar lá, você saberá! Não terá duvidas e sentirá uma sensação de completude. Afinal, o que buscamos nos encontros sexuais é a entrega de ambos com respeito e muito prazer.
Tatiana Leite é terapeuta de casal e família com especialização em Sexualidade Humana.

Imunizar profissionais de saúde contra a gripe H1N1 é evitar tragédia maior



Jornal do Brasil



O Tempo
Em uma semana Número de gestantes com zika cresce 42,37%
Os números são do boletim epidemiológico divulgado nesta terça pela Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG) e compreendem o período entre a ...
Google Plus Facebook Twitter Sinalizar como irrelevante

Entre 1990 e 2013, o número de pessoas com depressão e/ou ansiedade aumentou em quase 50%


jornal de saude
Atualização assim que ocorre 13 de abril de 2016


NOTÍCIAS


O Tempo
Entre 1990 e 2013, o número de pessoas com depressão e/ou ansiedade aumentou em quase 50%
Cada US$ 1 investido no tratamento para depressão e ansiedade gera um retorno de US$ 4 por meio de melhorias na saúde e na capacidade de ...
Google Plus Facebook Twitter Sinalizar como irrelevante


Cientistas criam células capazes de produzir insulina
RIO — Cientistas americanos anunciaram nesta quarta-feira a descoberta de uma proteína capaz de criar células que secretam insulina, o hormônio ...
Google Plus Facebook Twitter Sinalizar como irrelevante

Jornal de Saúde informa

Cuba abandona programa Mais Médicos. 11 mil Profissionais devem ir embora

Jornal de Saúde informa sobre saúde e outras notícias Atualização diária  ⋅   16 de novembro de 2018 NOTÍCIAS Cuba abandona programa ...

Jornal de Saúde