sexta-feira, 11 de março de 2016

«Estamos bem de saúde, unidos até ao fim» - Jorge Jesus


jornal de saude
Atualização assim que ocorre 11 de março de 2016

NOTÍCIAS


A Bola
«Estamos bem de saúde, unidos até ao fim» - Jorge Jesus
«Estamos bem de saúde, unidos até ao fim» - Jorge Jesus ... Mas o presidente e o treinador estão bem de saúde e unidos nesta batalha até ao fim. .... O jornal do país natal do jogador avança também que o jogador esperaria mais ...
Google Plus Facebook Twitter Sinalizar como irrelevante

Tratamento de água: saúde e cidadania


jornal de saude
Atualização assim que ocorre 11 de março de 2016


NOTÍCIAS


A Tribuna
Tratamento de água: saúde e cidadania
A proposta: por meio de uma noticia de jornal, chamar a atenção do aluno para a importância da água para a VIDA. E, paralelamente, relacionar a ...
Google Plus Facebook Twitter Sinalizar como irrelevante



Revista Época Negócios
Brasil gasta R$ 5 bilhões por ano com vítimas de violência
O valor foi obtido a partir de informações do Sistema Único de Saúde (SUS). Outro cálculo feito ... As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.
Google Plus Facebook Twitter Sinalizar como irrelevante

Oncologia pediátrica e cardiologia com centros de referência


jornal de saude
Atualização assim que ocorre 11 de março de 2016

NOTÍCIAS


Jornal de Notícias
Oncologia pediátrica e cardiologia com centros de referência
Criados pelo anterior ministro da Saúde, Paulo Macedo, foi já nos últimos dias do seu mandato que foram conhecidos os primeiros centros de ...
Google Plus Facebook Twitter Sinalizar como irrelevante

Exemplo limpeza contra Aedes Aegypti no Palácio do Planalto, empregos em Sumarè


jornal de saude
Atualização assim que ocorre 11 de março de 2016

NOTÍCIAS


O Tempo
Palácio do planalto
Cerca de 250 agentes de saúde e funcionários da limpeza participaram de vistoria, nesta sexta-feira (11) de manhã, no Palácio no Planalto, em ...
Google Plus Facebook Twitter Sinalizar como irrelevante


Jornal Floripa
Área da saúde é destaque entre as 62 vagas de emprego no PAT Sumaré
O Posto de Atendimento ao Trabalhador (PAT) de Sumaré (SP) está com 62 vagas de emprego abertas para oito áreas diferentes. O destaque é para ...
Google Plus Facebook Twitter Sinalizar como irrelevante


Rondoniaovivo
Governo abre campanha de prevenção às doenças renais crônicas
Segundo Domitila de Moraes, coordenadora do programa de nefrologia da Secretaria Estadual de Saúde (Sesau), o objetivo é prevenir e conter a ...
Google Plus Facebook Twitter Sinalizar como irrelevante

Cidade de 9 mil habitantes se une contra o 'Aedes'


jornal de saude
Atualização assim que ocorre 11 de março de 2016

NOTÍCIAS


UOL
Cidade de 9 mil habitantes se une contra o 'Aedes'
Por falta de pacientes, as três unidades de saúde, entre elas a Unidade Mista de Pronto-Atendimento, que funciona também nos fins de semana, ...
Google Plus Facebook Twitter Sinalizar como irrelevante

De Araxá/MG: Poder Público combate Aedes Aegypti em Minas Gerais


jornal de saude
Atualização assim que ocorre 11 de março de 2016

NOTÍCIAS


Jornal Araxá
:: Saúde Pública :: Poder Público concentra esforços no combate ao Aedes Aegypti. Saiba Mais...
Desde o início de janeiro, a Prefeitura de Araxá concentra os seus esforços para o combate ao mosquito Aedes Aegypti, que transmite a dengue, ...
Google Plus Facebook Twitter Sinalizar como irrelevante

Jornal de Angola: Começou a vacinação no Kilamba Kiaxi


jornal de saude
Atualização assim que ocorre 11 de março de 2016


NOTÍCIAS


Jornal de Angola
Começou a vacinação no Kilamba Kiaxi
A Organização Mundial da Saúde vai disponibilizar mais 499 mil dólares do Fundo de Contingência para a Emergência (CFE), especificamente para ...
Google Plus Facebook Twitter Sinalizar como irrelevante



Jornal de Angola
Prevenir é o melhor remédio Ler mais »
... periodicidade em que é feita a hemodiálise, e cada ampola custa cinco mil kwanzas nas farmácias, disse Timóteo Sebastião ao Jornal de Angola.
Google Plus Facebook Twitter Sinalizar como irrelevante

Veterinária

VETERINÁRIA

Como surgiu a veterinária e o que ela oferece hoje para a humanidade e animais

Praticamente desde que se domesticaram os animais existem pessoas ocupadas em tratar das doenças que os afetam. Já em 200 a.C. a veterinária se firmara como especialidade na Babilônia e no Egito, e uma das primeiras referências conhecidas sobre a atividade se encontra no código de Hamurabi, que claramente e refere a médicos de animais, prevendo sanções para os que não forem corretos no exercício da profissão. Os gregos tinham uma classe de médicos especializados em cavalos, e Hipócrates descreveu doenças articulares em bovinos, epilepsia em carneiros e cabras, além de outros males. Também em Roma houve abundante literatura veterinária.
No começo da Idade Média o tratamento das doenças dos animais era feito por ferreiros, pastores e magarefes, mas, a partir do princípio do século XIII, trabalhavam como veterinários – especialmente em cirurgias – os encarregados das cavalariças e dos estábulos. O mais famoso foi Jordanus Ruffus, no século XIII. No século XVI havia grandes clínicas veterinárias na China, onde também se publicaram tratados sobre doenças animais, embora por essa época persas e árabes já estivessem bem mais avançados no que tange especificamente ao conhecimento da medicina de cavalos. A afirmação da cavalaria como arma fundamental dos exércitos europeus e o interesse econômico por trás das epidemias nos rebanhos (epizootias), causas de grandes prejuízos econômicos, foram as principais razões do avanço da veterinária a partir do final do século XVI, quando se publicou Anatomia do Cavalo (1598), do italiano Carlo Ruini.

Malgrado os progressos eventuais, a situação da medicina animal era ainda muito precária em 1762, quando surgiu, em Lyon (França), a primeira escola de veterinária, mais concentrada nos cavalos. Fundada por Claude Bourgelat, inspirou a criação de outras em diversos países, dentre as quais logo se destacou a escola de Alfort, perto de Paris, também de Bourgelat. Na Prússia, Frederico o Grande mandou criar uma escola de nível superior ao das francesas, que iniciou suas atividades em 1786.
O século XIX foi de esplendor para a veterinária, cujos profissionais, na França, estiveram associados de perto aos progressos da incipiente ciência da microbiologia. Na classe veterinária, mais do que na médica, Louis Pasteur encontrou apoio para suas experiências e teorias renovadoras. Foi, aliás, com doenças animais que Pasteur realizou algumas de suas mais famosas descobertas, que levaram à idéia de vacinação pela atenuação dos germes causadores das doenças. O descobrimento, pelos microbiologistas, das causas das infecções e dos mecanismos de contágio, bem como dos procedimentos de esterilização e cultura bacteriana, teve profunda repercussão no tratamento dos animais domésticos.

Ao longo do século XX, avanços em áreas básicas como bioquímica, citologia, farmacologia e genética propiciaram maior rigor na pesquisa e na prática veterinária e maior aproveitamento na prevenção e controle das epizootias, o que resultou em benefícios econômicos para os criadores de gado, possibilitando-lhes rendimentos sem precedentes. Cabe citar a importância de veterinários como o francês Gaston Ramon, descobridor das anatoxinas (toxinas tratadas, em geral com formaldeído, de modo a destruir sua propriedade tóxica, mas preservando sua capacidade de estimular a produção de anticorpos); o americano Daniel Elmer Salmon, primeiro observador da Salmonella (gênero de bactérias patogênicas para o homem e outros animais); e o sueco Bernhard Bang, descobridor do agente do aborto bovino e da brucelose em seres humanos.
NE. fonte: http://veterinariosdesinop.blogspot.com.br/

 

Urologia

PSA - diagnóstico para próstata com câncer - novembro azul - é duvidoso, falso e caro


Gasta-se bilhões em remédios e tratamentos com a Saúde Pública num efeito perverso para a população. O Brasil como é a máxima entre a intelectualidade e milionários está no atraso, mesmo com a alta tecnologia mais de uma década.
Leia o texto extraído de pesquisa no Livro Avaliação de tratamentos de saúde, chocante em relação ao tratamento nos USA e que aqui tanto os planos de saúde, particulares e Saúde Pública indicam e bancam e sustentam uma indústria perversa da dúvida e da incerteza que apenas ganha rios de dinheiro em relação ao verdadeiro tratamento honesto.
Hoje é comum tanto crianças, adultos e idosos tomar medicamentos indiscrinamente sem usar tipos ou técnicas de tratamento mais natural e menos agressivo com comprovação analística de resultados. Numa intoxicação para o organismo que pode e mata ao invés de tratar e curar e fere os cofres públicos de maneira tão brutal que a falta de medicamentos nos Postos de Saúde e Centros ou outros nomes, faz com que a população se livre da incerteza e as autoridades competentes; Ministérios da Saúde e suas secretárias estaduais e municipais se calem diante da falta.

Sobre o diagnóstico do câncer de próstata
“O câncer de próstata foi descrito como exemplo por excelência do sobrediagnóstico. Isso não significa que não existam homens cujas vidas são salvas da morte precoce por câncer de próstata em consequência do diagnóstico precoce. Contudo... temos poucas possibilidades de saber de antemão quais homens irão se beneficiar do rastreamento e quais serão tratados desnecessariamente, muitas vezes com consequências adversas graves para a vida.
O problema fundamental é que, por meio do rastreamento e dos testes do câncer depróstata, estamos encontrando muito mais casos do que antes, e, por mais estranho que possa parecer, muitos desses cânceres nunca viriam a colocar a vida em risco. No passado, esses homens nunca teriam tido conhecimento de que tinham câncer de próstata e acabariam morrendo por outra coisa qualquer. Morreriam com o câncer de próstata, em vez de por causa dele.
Ao encontrar todos esses cânceres indiferentes, estamos dando a muito mais homens diagnóstico de câncer de próstata do que antes. Daí o termo sobre diagnóstico. Esse é o dilema principal enfrentado por todos os homens que contemplam serem Chapman S, Barratt A, Stockler M. Let sleeping dogs lie?
What men should know before getting tested for prostate cancer. Sydney: Sydney University Press, 2010. p.25.
Os níveis sanguíneos de uma substância chamada antígeno prostático específico (PSA) são elevados na maioria dos pacientes com câncer de próstata. No entanto, não existe um nível claro definido que diferencie os homens com câncer dos sem câncer, e um em cada cinco com câncer clinicamente significativo terá níveis de PSA normais. Além disso, apesar do seu nome, PSA não é “específico”. Por exemplo, os tumores de próstata não cancerígenos, as infecções e até mesmo os analgésicos vendidos sem receita médica podem causar níveis de PSA elevados. Nesses termos, por si mesmo, o PSA possui claramente limitações como teste de rastreamento.
No entanto, os testes de rotina do PSA em homens saudáveis foram promovidos com entusiasmo para o rastreamento do câncer de próstata por grupos de profissionais e de pacientes, e ainda por empresas que vendiam testes, tendo sido amplamente adotados em muitos países. O lobby a favor do rastreamento do PSA foi especificamente reivindicativo nos Estados Unidos, onde se estima que, a cada ano, 30 milhões de homens são testados, acreditando que essa é a coisa mais sensata a fazer. Então, qual é a evidência de que a detecção precoce do câncer de próstata com rastreamento do PSA era o prognóstico, e o que é conhecido sobre os prejuízos associados
O descobridor do PSA se expressa
“A popularidade do teste conduziu a um enorme desastre dispendioso da saúde pública. É uma questão com a qual estou familiarizado, pois eu descobri o PSA em Os americanos gastam uma quantidade enorme em testes para câncer de próstata. A despesa anual do rastreamento do PSA é, no mínimo, de US$ 3 bilhões, sendo grande parte desse montante pago pela Medicaree pela Veterans Administration. O câncer de próstata pode chamar muito a atenção da imprensa, mas considerem os números: os homens americanos têm 16% de chance de vida ao receberem o diagnóstico de um câncer de próstata, mas somente 3% de chance de morrer por causa disso. Isso acontece porque a maioria dos cânceres de próstata evolui lentamente. Em outras palavras, os homens que têm sorte suficiente para alcançar a terceira idade têm muito mais probabilidades de morrer com câncer de próstata do que Mesmo assim, o teste é dificilmente mais eficaz do que uma aposta em cara ou coroa ao lançar uma moeda para o alto. Como tenho tentado esclarecer há tantos anos, o teste de PSA não consegue detectar o câncer de próstata e, mais importante ainda, não consegue distinguir entre dois tipos de câncer de próstata – o que pode matar e o que não mata”.
Ablin RJ. The great prostate mistake. New York Times,10 mar, 2010.
A evidência de alta qualidade relativa aos benefícios e aos prejuízosdo rastreamento do PSA está sendo disponibilizada atualmente. Em 2010, os resultados de todos os estudos relevantes foram sistematicamente revisados. Essa avaliação mostrou que, embora o rastreamento do PSA tenha aumentado a probabilidade de ser diagnosticado com câncer de próstata (como seria previsto), não houve impacto significativo na taxa de mortalidade decorrente do câncer ou na taxa.
Então, a maré está se virando contra o rastreamento do PSA? Richard Ablin, descobridor do PSA, certamente pensa que isso devia acontecer e há anos vem se manifestando. Em 2010, ele comentou:
“Nunca sonhei que a descoberta que fiz há quatro décadas levaria a esse desastre da saúde pública orientado para os lucros.
A comunidade médica deve confrontar a realidade e parar a utilização indevida do rastreamento do PSA. Fazendo isso, pouparia bilhões de dólares e resgataria milhões de homens de tratamentos desnecessários e debilitantes”. Quando muito, todos os homens, antes de serem submetidos ao teste do PSA, deveriam ser informados sobre as limitações do teste e sobre as possíveis consequências adversas. Como um grupo de especialistas observou: “[os homens] deveriam ser informados de que o teste não consegue dizer [a eles] se têm um câncer potencialmente fatal e que pode levá­los a passar por um emaranhado de testes e tratamentos que poderiam ser evitados”.

Extraído do livro Avaliação de tratamento de saúde - 2a. edição - dos autores: Imogen Ivans, Hazel Thornton, Alain Chalmers e Paul Glasziou.

Pesquisa e texto do editor e jornalista Marcelo dos Santos - MTb 16.539 - SP/SP



17 de novembro: Dia Mundial da Prematuridade: o que os pais de bebês prematuros precisam saber?


Os pais de prematuros necessitam do apoio da família e de amigos. Se você conhece uma família com um bebê na UTI neonatal, 
seja solidário, demonstre amor!



Ter um bebê prematuro para muitas famílias é desolador, assustador, difícil, triste, traumático e algo que ninguém merece experimentar. Mas os pais dos prematuros também sabem coisas que os outros pais não sabem. Eles sabem que, apesar da dor, da luta, das lágrimas e das noites sem dormir, ter um bebê prematuro é uma experiência transformadora.

“As mães dos prematuros conhecem a perda. A perda do sonho de uma gravidez saudável, a perda do sonho de carregar uma grande barriga de grávida, a perda do sonho de ver um bebê nascendo aos nove meses, gritando e chorando... Experiências que elas pensavam que iam compartilhar com as outras mães. Os pais dos prematuros sabem mais sobre o medo e o desamparo, sobre o querer desesperadamente ajudar seus filhos, sobre o desejar fazer qualquer coisa para eles possam ir para casa. Eles sabem o que é imaginar o futuro e saber que talvez ele possa ser muito mais difícil do que jamais pudessem imaginar”, afirma o pediatra e homeopata Moises Chencinski (CRM-SP 36.349).

Os pais dos prematuros também sabem outras coisas:

·        Eles sabem o que é olhar para um bebê incrivelmente minúsculo com olhos que podem ainda não estar abertos, ligado a máquinas, e honestamente sentir um amor imenso e ainda acreditar que ele é o ser mais lindo que jamais existiu;
·        Eles sabem o que é e como encontrar alegria nos marcos mais ínfimos, como pequenos ganhos de peso ou vestir roupas (finalmente!) pela primeira vez;
·        Eles sabem o quanto o contato pele a pele, por horas a fio, é importante para o bebê, assim como o leite materno, desde os primeiros momentos de vida;
·        Eles sabem, mais do que ninguém, que cada etapa é uma celebração.


“Há uma enorme variação no desenvolvimento dos prematuros, e alguns pais têm mais facilidade para lidar com isso do que outros. Alguns vão lutar mais e ter um caminho mais complicado. A única coisa que médicos, enfermeiros, familiares, amigos e todas as outras mães e pais do mundo podem verdadeiramente entender é que quando eles olham para seus filhos prematuros, esses pais enxergam guerreiros, bebês que lutaram mais e superaram mais obstáculos do que qualquer um poderia ter imaginado”, diz o médico.

Coisas que todo pai de prematuro precisa saber

Ninguém planeja se tornar pai de uma criança frágil. Quando um bebê nasce prematuramente, a maioria dos pais está também despreparada para uma longa internação numa Unidade de Terapia Intensiva Neonatal.

Crianças em UTI’s neonatais são muitas vezes tão frágeis que não podem ser carregadas, alimentadas, vestidas ou receber banhos, carinhos, afagos... Os pais, muitas vezes, se sentem impotentes e desamparados. O pediatra Moises Chencinski lista algumas dicas que podem orientar os pais nesses primeiros momentos:

1.     Você é parte integrante da equipe de cuidados permanente do prematuro. “Os pensamentos, sentimentos e observações dos pais do prematuro são extremamente importantes. Fale respeitosamente. Pergunte. Exprima suas preocupações. Compartilhe o que é importante para você. Se você sente fortemente que algo é melhor para o bebê, converse com a equipe”, orienta o médico;
2.     Prematuros precisam de leite materno fresco. “Prematuros devem receber uma dieta 100% composta por leite materno. Leite materno fresco pode salvar a vida de bebês frágeis. As mães devem começar a bombear o mais rapidamente possível. Para estabelecer e manter sua produção de leite, toda mãe de prematuro precisa de apoio - de seu parceiro, da família, do obstetra, do pediatra, do consultor de lactação, da equipe de cuidados do bebê. Quando o leite materno da mãe não está disponível, o leite materno pasteurizado de doadoras é a segunda melhor opção. As fórmulas aumentam o risco de um prematuro desenvolver enterocolite necrosante neonatal”, diz o pediatra, que é membro do Departamento de Pediatria Ambulatorial e Cuidados Primários da Sociedade de Pediatria de São Paulo;
3.     Você sabe o que é melhor para o seu bebê, mesmo prematuro.“Aprenda a observar bem o seu bebê. Os prematuros podem tornar-se gravemente doentes rapidamente. Você pode saber antes de mais ninguém quando algo simplesmente não está certo. Se você sentir que algo não está certo, expresse suas preocupações e verifique se elas têm fundamento”, orienta o pediatra. Chencinski sugere que os pais prestem atenção aos sinais sutis de que algo pode estar errado:
·        Barriga anormalmente dilatada;
·        Instabilidade da temperatura (temperatura do corpo muito alta ou muito baixa);
·        Sangue nas fezes;
·        Fraldas secas frequentes;
·        Quantidades frequentes ou grandes quantidades de vômito;
·        Prisão de ventre;
·        Estado letárgico ou não tão sensível;
·        Dificuldades ou alterações para respirar.
4.     Aprenda a carregar o seu prematuro. “Pergunte aos enfermeiros como aplicar apropriadamente o Método Canguru. Prematuros precisam sentir o toque dos pais. Quando você não puder ser o canguru do seu bebê, leia em voz alta para ele”, diz Chencinski;

5.     Preste atenção aos detalhes. “Mantenha um diário, documentando rotinas de cuidados com o bebê, seu comportamento, bem como seus / suas contrariedades e realizações. Anote seus pensamentos e perguntas. Tome notas. Não transfira a responsabilidade de cuidar do bebê para a equipe do hospital. Eles são humanos e cometem erros. Se você não perceber os erros, é possível que ninguém mais o faça”, observa o pediatra;
6.     Torne-se o especialista do seu prematuro. “Leia e aprenda tudo o que você precisa saber sobre a saúde ou a condição do seu prematuro. Aprenda a linguagem empregada nas UTI’s neonatais e as melhores práticas. Se você não tiver certeza de onde encontrar informações credíveis, pergunte à equipe de atendimento do seu bebê. Estenda a mão para outras famílias nas UTI’s neonatais. Seja solidário com as famílias na mesma situação que a sua. Busque outras instituições, neonatologistas ou pesquisadores se você tiver perguntas específicas que a equipe de cuidado do seu bebê não pode responder”, recomenda Moises Chencinski;

7.     Você é a voz de seu bebê. “Não deixe que ninguém o intimide ou o envergonhe por ser defensor do seu bebê. Você não é chato. Você não vai colocar em risco a vida do seu bebê. Seu bebê precisa de você para falar por ele / ela, respeitosamente, sempre”, destaca o pediatra;

8.     Crie um refúgio de paz e cura. “Deixe para trás as frustrações e medos para que você possa estar presente e em sintonia com o seu bebê. Sorria para o seu bebê. Cante para seu bebê. Traga um cobertor especial de casa. Pendure fotos de família perto dele. Toque uma música suave. Comemore os menores avanços”, orienta o médico;

9.     Não deixe a sua vida de lado. “Ter um bebê numa UTI neonatal é desgastante. Uma internação numa UTI neonatal pode parecer que nunca vai acabar, mas vai. E você nunca vai ter esse tempo de volta, portanto, viva esse momento plenamente, sem arrependimentos. Leia livros especiais para o seu bebê. Tire fotos, faça vídeos com o seu bebê, mesmo se ele / ela estiver gravemente doente. Saboreie cada fase com o seu bebê. Tragicamente, a perda do bebê é uma coisa real para muitas famílias nas UTI’s neonatais. Se você já experimentou esta trágica perda, busque apoio”, afirma Moises Chencinski.
Postado há  por 

Previdencia Social


Mitos e verdades sobre a coleta das células tronco do cordão umbilical



Quando falamos em armazenamento de células-tronco do cordão umbilical, muitas pessoas não sabem como funciona e a pergunta mais frequente entre as mamães de plantão é: vale a pena investir para armazenar as células-tronco do cordão umbilical?
Se pararmos para pensar que a probabilidade do material coletado do recém-nascido ser compatível com os familiares, é acima de 25% para pais e irmãos, ou seja, com chances muito mais elevadas do que aguardar um doador compatível nos bancos públicos e de poder ser usada de forma imediata, sim vale a pena.
Claro que as chances de uma pessoa da família precisar das células para o tratamento de uma enfermidade ser baixa, ainda assim oferece uma certa “segurança” para quem as têm armazenadas no banco privado.
“As células-tronco são encontradas em várias partes do corpo humano, como na medula óssea, células de gordura, polpa dentária, etc. Entretanto, as células do cordão umbilical são consideradas virgens, livres de impurezas por não terem sofrido com as mudanças do mundo externo, daí o seu poderoso papel terapêutico”, afirma Dra. Adriana Homem, médica responsável técnica do BCU Brasil, maior banco privado de coleta e armazenamento de células-tronco do cordão umbilical da América Latina.
Entretanto, por ser um assunto relativamente novo, final da década de 80, a forma de uso e armazenamento das células-tronco do cordão umbilical ainda levanta polêmicas e não têm consenso entre médicos, já que alguns defendem e outros criticam pontos, como o armazenamento em bancos privados, o uso de forma autóloga (no próprio doador), a eficácia dos tratamentos, etc.
Independente da polêmica esta é uma decisão que cabe apenas aos pais e devem ser respeitadas e não julgadas.
A eficácia das células-tronco é comprovada, o importante é não descartar este material, seja ele armazenado nos bancos privados ou doado para o banco público. “É fato que guardar as células-tronco no Brasil ainda é algo novo e não há dados estatísticos sobre o uso dos materiais armazenados nos bancos privados. Contudo, em países como o México, um dos pioneiros em células-tronco do cordão umbilical, há diversos casos de sucesso, tanto para uso autólogo como no caso de outros pacientes”, afirma Dra. Adriana.
É por isso que a Dra. Adriana resolveu esclarecer as principais dúvidassobre alguns mitos e verdades sobre a coleta e uso das células-tronco do cordão umbilical, confira abaixo:
1)      As células-tronco do cordão umbilical já são utilizadas comprovadamente para tratamentos de doenças?
Verdade. Hoje as células-tronco do cordão umbilical podem ser usadas para tratamento de mais de 80 doenças comprovadamente, entre elas enfermidades graves, como leucemias, anemia falciforme, mielomas múltiplos, hemoglobinopatias, doença de Hodgkin e inclusive a mielodisplasia, uma doença rara, como a do garoto Tancrede (11 anos), que ganhou espaço na mídia, graças às campanhas nas redes sociais para encontrar um doador compatível com ele.
2)      É verdade que as chances de encontrar um doador compatível nos bancos públicos é baixa?
Verdade. Com a miscigenação e a grande variedade genética dos povos as chances de encontrar um doador nos bancos públicos são pequenas, variam de 1 em 10 mil a 1 em 1 milhão, dependendo da mistura entre raças. Entretanto, é importante não desperdiçar este material tão rico, seja doando para o banco público ou armazenando em um banco privado.
3)      É verdade que o uso autólogo das células-tronco do cordão umbilical é condenado por médicos?
Em partes. Há algumas pesquisas que sugerem que o uso autólogo não apresenta resultados satisfatórios, visto que se uma criança desenvolve leucemia, estes estudiosos acreditam que as células-tronco do sangue do cordão umbilical já possuíam as células cancerosas ainda no útero da mãe. Entretanto, isto ainda não está efetivamente comprovado e, contrariando as pesquisas, há casos de transplantes autólogos realizados com sucesso, como exemplo, no México em 2012, onde uma criança com Linfoma não Hodgkin, recebeu as suas próprias células do cordão umbilical. Ainda podemos citar o caso do ator Reynaldo Gianecchini, que após buscar doadores compatíveis e não ter encontrado realizou um transplante autólogo com as células-tronco da medula óssea.
4)      Se eu armazenar as células-tronco no banco privado e depois quiser doá-las para os bancos públicos é possível?
Mito. Infelizmente, não é possível porque os bancos públicos não aceitam a transferência do material armazenado do banco privado para o público. Sendo assim, uma vez armazenado no banco privado, lá ele ficará e apenas o doador e os familiares poderão usá-lo. Já nos bancos públicos, assim que qualquer pessoa compatível com o material guardado apareça, poderá ser usado, desde que já tenha passado por todas as avaliações necessárias como testes de HIV, Hepatite e outros.
5)      As células-tronco armazenadas serão compatíveis com membros da família? Verdade. As chances de serem compatíveis com pais e irmãos podem chegar a 50%. Sendo que com o doador esta compatibilidade é de 100%. Sendo assim, caso algum membro direto da família precise das células, a chance de compatibilidade é muito maior do que no banco público.
ade é de 100%. Sendo assim, caso algum membro direto da família precise das células, a chance de compatibilidade é muito maior do que no banco público.

 

Psicologia

Quer dormir melhor, aprimorar sua memória, gastar mais calorias, aumentar

sua imunidade? Faça sexo

Em meio ao alvoroço com o trailer do 50 Tons de Cinza, especialista enumera os benefícios a saúde dessa pratica prazeroza

Dr. Fabio Cardoso defensor e polemista sobre sexo
O ato sexual é tópico diário para grande parte da humanidade, assuntos ligados a sexo sempre despertam interesse, não é a toa que um dos filmes mais aguardados do ano é 50 Tons de Cinza, adaptação do best-seller escrito pela britânica E.L. James e o lançamento de seu primeiro trailer passou a ser um dos temas mais comentados do momento. Direta ou indiretamente, pensamos e falamos nele o tempo todo (ou quase). Exagero? Pode até ser, mas o fato é que além de muito prazeroso, ele também gera muitos benefícios à saúde como nos explica a seguir Dr Fábio Cardoso especialista em medicina preventiva, longevidade e antienvelhecimento.
A melhora da qualidade do sono, a redução do risco de doenças cardíacas e a diminuição das chances de ter câncer de próstata são apenas alguns dos benefícios oferecidos pela prática de sexo  é o que apontam diversas pesquisas realizadas sobre o assunto em diversos lugares do mundo.
Para o médico, sem efeitos secundários, e com muito poucas contraindicações, de fácil acesso, grátis e eficaz, é sim um excelente remédio, assim como o exercício físico. Ele revitaliza o corpo, alivia o stress, excita e aguça a mente, e ainda consegue prevenir muitas doenças.
O assunto não é novo (óbvio), mas nem mesmo nos meios acadêmicos. Em 1975, a Organização Mundial de Saúde publicou um trabalho sobre esta matéria"Education and Treatment in Human Sexuality: The Training of Health Professionals" onde defendiam que a saúde sexual era um dos aspectos mais importantes e positivos do ser humano, devendo a sexologia ser encarada como disciplina autónoma. Felizmente que a partir desta data, os estudos nesta área tem vindo a desenvolver-se sem preconceitos ou tabus.
Da mesma época, um estudo realizado pela realizado nos EUA correlacionou a frequência de atividade sexual das pessoas e a taxa de mortalidade geral e por várias causas. E descobriram que ter uma vida sexual ativa e frequente faz você viver mais.
Probabilidades de morrer de acordo com a vida Sexual e outros fatores de risco.
Frequência de orgasmos
Risco relacional de mortalidade Baixa Média Alta
Para todas as causas de falecimento
1,9
1,6
1
Por doenças do coração
2,1
1,8
1
Por outras causas
1,6
1,5
1
 Vivo por mais tempo e com um melhor humor. Outra pesquisa realizada pela Durex Global Sex Survey, por exemplo, mostrou que o sexo melhora o humor para 63% dos homens e 72% das mulheres. Não é coisa de filme americano…
Ficou curioso para saber quais os benefícios que a prática do sexo oferece para a saúde? Dr Fábio as enumera a seguir:
Fortalece os músculos pélvicos
Um benefício inesperado do sexo é que ele pode evitar a incontinência na terceira idade, principalmente entre as mulheres.
Reduz o risco de câncer de próstata
Ejaculações frequentes, principalmente nos homens mais jovens, podem proteger contra os tumores na glândula após os 50 anos. Neste caso, o ideal é fazer sexo ao menos 3 vezes por semana para reduzir o risco de câncer por um terço. O estudo foi publicado no 'Journal of the American Medical Association'. Outra pesquisa do Instituto Nacional do Câncer, dos Estados Unidos, mostrou que ter, em média, 21 ejaculações mensais reduz em até 33% os riscos de câncer de próstata.
Fazer sexo pode ser tão eficaz para eliminar calorias quanto a corrida
De acordo com uma pesquisa da Universidade de Quebec, no Canadá, uma hora de atividade entre quatro paredes queima quase a mesma quantidade de calorias que 30 minutos de corrida na esteira. O estudo constatou que homens gastam 120 calorias em meia hora de sexo, enquanto as mulheres eliminam 90.
Sexo melhora a memória e torna as pessoas mais inteligentes
Segundo uma pesquisa da Universidade de Maryland, nos Estados Unidos, o sexo pode tornar a pessoa mais inteligente e melhorar a memória de longo prazo. Um estudo em ratos de meia-idade constatou que eles fabricaram mais células cerebrais no hipocampo, onde as memórias de longo prazo são produzidas, após o acasalamento. Os cientistas também ligaram a atividade sexual frequente com o aumento da capacidade intelectual. No entanto, os benefícios foram perdidos ao impedir o coito.
Protege o coração (vida sexual ativa reduz o risco de doença cardíaca)
Uma boa vida sexual faz bem ao coração. Além de ser uma ótima maneira de aumentar a frequência cardíaca, o sexo ajuda a manter o estrogênio e os níveis de testosterona em equilíbrio. Quando tais hormônios estão em baixa há mais riscos de ocorrer osteoporose e doenças cardíacas.
 E para os mais velhos? Pessoas mais velhas podem achar que uma sessão mais quente pode aumentar o risco de derrames, mas isto raramente é o caso, comprovaram pesquisadores na Inglaterra. O estudo, publicado no 'Journal of Epidemiology and Community Health', mostrou que não há relação entre os dois. Eles comprovaram também que manter relações uma ou das vezes por semana pode diminuir o risco de infartos pela metade nna população acima dos 60 anos.
Relações sexuais aumentam a imunidade
Pesquisadores da Universidade Wilkes, da Pensilvânia, descobriram que estudantes universitários que mantiveram relações sexuais uma ou duas vezes por semana tinham níveis mais elevados do anticorpo que protege contra germes, vírus e outros invasores em comparação aos estudantes que fizeram sexo com menos frequência. Uma vida sexual ativa aumenta os níveis de um anticorpo conhecido como IgA, que protege o corpo de infecções como as gripes e os resfriados.
Aumenta a intimidade no relacionamento
Pesquisadores da Universidade de Pittsburgh mostraram que os casais que têm mais contato físico são também os mais felizes. O motivo é a ocitocina, também conhecido como o hormônio do amor, que aumenta a empatia e a generosidade.
Sexo ajuda a dormir melhor
Você pode cochilar mais rapidamente após o sexo, e por boas razões. De acordo com a psiquiatra Sheenie Ambardar, em West Hollywood, na Califórnia, após o orgasmo, o hormônio prolactina é liberado. Ele é o responsável pelas sensações de relaxamento e sonolência. Outra pesquisa divulgada recentemente apontou que 17% das mulheres britânicas disseram que dormem por mais tempo e mais profundamente depois de terem feito sexo. O estudo foi encomendado pelo Sanctuary Spa e publicado no Daily Mail.
Sexo alivia o estresse
Níveis elevados de cortisol, o hormônio do estresse, podem levar a diversos problemas de saúde, como altas taxas de açúcar no sangue e ganho de peso. Para reverter este quadro, o sexo pode ser uma boa aposta, já que as endorfinas liberadas durante o ato ajudam a aliviar a tensão e a deixar de lado os momentos ruins do dia. Para a psiquiatra Sheenie Ambardar, em West Hollywood, Califórnia, estar perto de seu parceiro pode aliviar o estresse e a ansiedade.
 Orgasmo reduz dores e incômodos
Quando você estiver com dor, antes de tomar um analgésico, que tal ter um orgasmo? Segundo o médico Barry R. Komisaruk, professor da Universidade Estadual de Nova Jersey, chegar ao clímax pode bloquear a dor. O médico afirma que a estimulação vaginal pode acabar com as dores nas costas e nas pernas, além de reduzir cólicas menstruais, sintomas da artrite e, em alguns casos, até mesmo dor de cabeça.
Sexo traz mais felicidade
 Se você anda de mau humor e não sabe como melhorá-lo, a solução é simples: ao acordar, continue na cama e pratique sexo matinal. O ato deixa a pessoa feliz ao longo do dia.
 Sexo frequente aumenta a satisfação conjugal dos neuróticos
 Sexo frequente pode ajudar as pessoas neuróticas, que têm propensão a experimentar emoções negativas, a mudar de humor, além de se chatear e a se preocupar menos. A equipe da Universidade do Tennessee acompanhou 72 casais recém-casados ao longo dos primeiros quatro anos de união. A atividade sexual constante mostrou ser capaz de acabar com o déficit de felicidade dos neuróticos. Segundo os pesquisadores, algumas pessoas encontram no sexo a capacidade de manter a satisfação em dia.
Orgasmo diminui risco de morte prematura
De acordo com o British Medical Journal, homens que chegam ao orgasmo frequentemente têm 50% menos chances de morte prematura. Pesquisas mostram que fazer sexo com frequência deixa os homens com aparência mais jovem, podendo parecer até 10 anos mais novos.
Vida sexual ativa reduz a depressão
Orgasmo faz bem para o corpo e para a mente. Segundo o professor depsicologia James Coan, da Universidade da Virgínia em Charlottesville, a prática do sexo libera os hormônios ocitocina e endorfina, que colaboram para a diminuição da depressão.
 Sexo aumenta a longevidade
 Mulheres que gostam de sexo vivem mais do que aquelas que não o fazem. De acordo com o médico Michael Roizen, especialista em Medicina Preventiva na Cleveland Clinic, o sexo tem o poder de fazer as mulheres se sentirem de dois a oito anos mais jovens. Os homens podem conseguir o mesmo efeito experimentando de 150 a 350 orgasmos por ano.
 Transar tonifica os músculos
Pense em sexo como uma boa sessão de treinamento de força. Durante o ato, você usa muitos grupos musculares e, convenhamos, é muito mais divertido do que fazer agachamento na academia. "Assim como o exercício, a regularidade ajuda a maximizar os benefícios", afirma o médico Joseph J. Pinzone, diretor médico do instituto médico Amai Wellness, nos Estados Unidos.
Fazer sexo combate a dor de cabeça
Estudo publicado no Cephalalgia, jornal da Sociedade Internacional de Cefaleia, constatou que mais da metade dos participantes que sofriam de enxaqueca e tiveram relações sexuais experimentaram uma melhora nos sintomas, enquanto 20% ficaram completamente curados.
Sexo reduz a diabetes
O sexo pode reduzir o risco da diabetes tipo 2, por melhorar a ação da insulina, segundo um estudo da Journal of the American Medical Association. Além disso, o desempenho sexual pode indicar problemas de saúde: a disfunção erétil, por exemplo, talvez seja sinal de problema no coração.
Fazer sexo melhora a libido
Você quer uma vida sexual mais ativa? Então, aposte no próprio sexo, que tem o poder de aumentar a libido. É o que diz Lauren Streicher, professora-clínica assistente de obstetrícia e ginecologia na Feinberg School da Northwestern University of Medicine, em Chicago. Para as mulheres, o sexo ainda dá um up na lubrificação vaginal, no fluxo sanguíneo e na elasticidade.
Sexo é bom para a autoestima
Um estudo da Universidade do Texas provou que um dos principais motivos para a prática do sexo é a melhora da autoestima. As participantes da pesquisa disseram que a relação sexual com o parceiro faz com que elas se sintam melhores com elas mesmas e com suas formas físicas.
Reduz a pressão arterial
De acordo com Joseph J. Pinzone, diretor médico do instituto médico Amai Wellness, nos Estados Unidos, um estudo descobriu que a relação sexual propriamente dita (não a masturbação) reduz a pressão arterial sistólica.
Resumindo: o sexo é sim uma das mais eficazes medidas preventivas para a saúde que existem. Um “medicamento” natural e muito efetivo.

Dr Fábio Cardoso especialista em medicina preventiva 

 

Anuncie aqui sua clínica

Jornal de Saúde informa

Vamos estudar: Aplicação do cdc ao comércio eletrônico: apontamentos acerca do projeto de atualização n 281/2012

[PDF]   Aplicação do cdc ao comércio eletrônico: apontamentos acerca do projeto de  atualização  n 281/2012 JA Mor...

Jornal de Saúde