terça-feira, 24 de maio de 2016

Reaproveitamento de pneus aumenta as chances de acidente com automóvel


Saiba algumas dicas de como comprar pneus novos sem ser enganado
 
Muitos motoristas, com o intuito de tentar maior economia, optam por trocar seus pneus carecas por usados e que estejam menos desgastados. Entretanto, isso pode acarretar uma série de problemas em relação à dirigibilidade, ao funcionamento do veículo e, principalmente, para a segurança do motorista e passageiros.

Apesar de desembolsar uma quantia menor para adquirir esse item, o custo-benefício dos pneus usados não vale a pena. Para este caso, o diretor de E-Commerce da KD Pneus, Carlos Molina, afirma que “o ditado ‘barato sai caro’ é bem aplicado”. Muitos deles podem ter um passado desconhecido ou duvidoso e mesmo aqueles que foram utilizados por pessoas conhecidas e cuidadosas geram riscos altos.

Ao reaproveitar os pneus, você pode estar adquirindo um produto já danificado. Muitas vezes, o item foi submetido à manutenções, armazenamentos e situações impróprias para o seu modelo. Esses tipos de avaria podem torná-lo, inclusive, impróprio para ser utilizado, afetando a resposta de frenagem do automóvel e aumentando as chances de aquaplanagem.

Os maiores riscos, entretanto, estão nos detalhes que não ficam aparentes, como o desgaste irregular, deformações, furos, pequenos rasgos, dentre outros. Eles só podem ser detectados, na maioria das vezes, por meio de uma avaliação realizada por um profissional e, muitas vezes, depois que um acidente for desencadeado.

O mais indicado, portanto, é optar por investir em segurança a partir da aquisição de um jogo novo de pneus, mas, para isso, é preciso saber avaliar adequadamente na hora da compra para não ser enganado. Confira algumas dicas:

Sulcos
Eles são responsáveis por afastar a água acumulada no asfalto antes que o pneu passe por ela, diminuindo os riscos de acidentes e proporcionando maior estabilidade nas estradas.

Em vista disso, Molina explica que a tecnologia aplicada por cada marca em seus pneus é o que os diferencia de responder bem em dia de chuva ou em terreno seco em suas variações. “Vale lembrar que, mesmo com essas questões de segurança, é importante sempre manter os limites de velocidade”, alerta.
Jogo completo
Muitas vezes, procurando economia, os motoristas não trocam todos os pneus ao mesmo tempo ou, então, optam por adquirir modelos diferentes em prol da economia. Adquirir itens diferentes um do outro pode gerar uma redução na segurança, além de comprometer o desempenho do automóvel.

“Os pneus devem ter o mesmo perfil e tamanho, pois quando você instala quatro pneus diferentes entre si, a durabilidade fica comprometida, ficam desgastados de maneira irregular e principalmente, o carro fica descompensado tornando mais provável um acidente. Quando se trata de segurança, vale tomar todas as providências possíveis”, afirma Molina.

Mantendo as medidas e indicies, pode apenas trocar de marca apenas entre eixos. Ou seja, o eixo da frente pode ter pneus da marca Michelin e os de traseira da marca Goodyear.

Nunca pode-se ter na dianteira esquerda uma marca e na dianteira direita outra marca, por mais que sejam da mesma medida. Isso descompensa o veículo.
Características
Ao comprar um pneu, você precisa saber do que está em busca e para qual finalidade. Só assim a segurança estará garantida para você e sua família durante as viagens e aventuras sobre quatro rodas.
Carlos Molina dá um exemplo: “se o seu propósito é realizar trilhas, o pneu deve ser específico para off road. Caso você queira circular no asfalto, existem modelos com características diferentes”. A KD Pneus conta com atendimento especializado para lhe auxiliar nestas decisões.
Velocidade
Existem pneus que atendem a questão da velocidade que o veículo pode atingir, apesar de poucos motoristas saberem e considerarem esta informação no momento de comprar um jogo de pneus. “Esses itens são voltados especificamente para o desempenho do automóvel e são mais indicados para os esportivos. De uma maneira ou outra, vale ficar atento”, aconselha.

T = Até 190 km/h
H = Até 210 km/h
V = Até 240 km/h
W = Até 270 km/h
Y = Até 300 km/h
ZR dentro da designação do tamanho = acima de 240 km/h
Pesquise
A última dica é pesquisar. Comprar o pneu na primeira loja que visitar pode não ser benéfico para o seu bolso e segurança. O diretor de E-Commerce da KD Pneus afirma que, antes de tomar qualquer decisão, é possível acessar o site de sua loja, conferir os modelos disponíveis e tirar dúvidas com os vendedores online, que sempre ficam à disposição dos clientes. Lembre-se, nem sempre o menor preço é o melhor preço.

Atualize-se em saúde, por exemplo: É necessário especialistas em Zika?


jornal de saude
Atualização assim que ocorre 24 de maio de 2016

NOTÍCIAS


O Nortão Jornal
Ministério da Saúde cria Rede Nacional de Especialistas em zika
O Ministério da Saúde instituiu nesta segunda-feira (23) a Rede Nacional de Especialistas em Zika e doenças correlatas (Renezika), um grupo de ...
Google Plus Facebook Twitter Sinalizar como irrelevante


Jornal O Globo
OMS diz que zika prova que doenças podem ressurgir e causar emergências
RIO - A diretora-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS) afirmou nesta segunda-feira que a rápida evolução do surto de zika é um alerta de ...
Google Plus Facebook Twitter Sinalizar como irrelevante


Jornal Extra
Sem repasses do governo, abrigo em Jacarepaguá corre risco de fechar
O convênio com o estado prevê outros R$ 60 mil mensais da Fundação para a Infância e Adolescência (FIA) e da Secretaria estadual de Saúde, mas ...
Google Plus Facebook Twitter Sinalizar como irrelevante

Ladrão leva computador com estudo inédito sobre vírus da zika

jornal de saude
Atualização assim que ocorre 24 de maio de 2016
NOTÍCIAS

UOL
Ladrão leva computador com estudo inédito sobre vírus da zika
Ao jornal O Estado de S. Paulo, a Infraero informou que as imagens das câmeras de segurança só são verificadas se houver decisão judicial. Sobre o ...
Google Plus Facebook Twitter Sinalizar como irrelevante

segunda-feira, 23 de maio de 2016

Gestão de Pacientes e Excelência no Atendimento ao Paciente: destaques na 36 ª Jornada Paulista de Cirurgia Plástica

Gestão de Pacientes e Excelência no Atendimento ao Paciente: destaques na 36 ª Jornada Paulista de Cirurgia Plástica


Workshop aborda a importância de atender bem o paciente. Consultora aponta as situações que são gatilhos de estrese para o paciente na sala de espera


Numa época em que os consultórios e clínicas não podem dispensar pacientes, as secretárias e recepcionistas se tornaram peças fundamentais para o bom funcionamento do negócio.

“E o que não pode ser deixado de lado é a qualificação dessas profissionais. É preciso que as funções da recepcionista e da secretária – muitas vezes, uma única pessoa desempenha as duas funções – sejam muito bem definidas. A preparação de uma boa secretária começa logo na seleção. E após a seleção, é importante que a profissional participe de cursos interpessoais e de seminários de capacitação profissional, onde aprenda a lidar com as características do mercado onde irá trabalhar”, afirma a consultora Márcia Wirth, que ministrará o Workshop Aumentando a Eficiência de Secretárias na Gestão de Clínicas e Consultórios, o evento acontece no dia 26 de maio, na capital paulista, como parte integrante da programação paralela da Jornada Paulista de Cirurgia Plástica.

Não adiantam todos os esforços de marketing, se ao ligar para marcar a consulta uma consulta o paciente se deparar com uma secretária despreparada. “Vamos imaginar a seguinte cena: o paciente apresenta-se na recepção da clínica. Após esperar alguns minutos, uma secretária mal humorada o leva até a sala de espera, onde ele tem que aguardar mais um pouco. Quando ele entra na sala do médico, já tem em mente uma impressão nada agradável deste profissional… Correto? Em quase 100% dos casos, sim. Todos nós, quando nos tornamos pacientes, procuramos mais do que uma consulta ou um medicamento. Queremos um ótimo consultório, num ótimo lugar, muito bem equipado, mas gerido e operado por seres humanos. Aprender a lidar com os pacientes, que são clientes com características próprias, é um diferencial no atendimento de consultórios e clínicas”, defende Márcia Wirth.

Situações que são gatilhos de estresse na sala de espera:

·         Paciente irritado com atraso na consulta e sem feedback apropriado da recepcionista/secretária sobre o seu horário de consulta;
·         Impaciência durante a espera pelo atendimento que não é amenizada, pois a sala de espera não é preparada adequadamente para acomodá-lo confortavelmente e ele fica cada vez mais impaciente;
·         Por chegar antes do horário marcado, o paciente deseja ser atendido antes do paciente que chegou depois dele, todavia, este segundo paciente está no horário correto dele. Ou seja, o primeiro paciente mencionado não tem clareza sobre os critérios de agendamento de consultas (É horário? É chegada? É a amizade com a secretária?);
·         Banheiros mal higienizados, malcheirosos, sem papel toalha, sem papel higiênico, com os cestos de lixo abarrotados, com os espelhos manchados e respingados de água;
·         Temperatura e som ambiente da sala de espera inadequados. A sala de espera deve ser preparada em função das necessidades do paciente. O ar condicionado, a televisão, a música, todos os elementos externos que interferem na espera devem ser ajustados em função do conforto do paciente;
·         Dificuldades para estacionar. Consultórios e clínicas devem contar com serviços de manobrista e valet. Parcerias para oferta de cortesias e descontos devem ser firmadas pelos consultórios e clínicas;
·         Qualidade do café, do chá, da água e do café da manhã (caso de laboratórios de exames clínicos) ofertado aos pacientes. Nenhum estabelecimento comercial é obrigado a oferecer nada a seus clientes, mas se a opção for por oferecer, é necessário optar por produtos de qualidade, para evitar que a cortesia se transforme num outro problema de atendimento que deponha contra o negócio;
·         Ausência de revistas (novas e de interesse do público) à disposição dos pacientes, bem como a não disponibilização de uma senha de WI-FI destinada exclusivamente aos pacientes.


Importância do treinamento

Márcia Wirth destaca que o paciente sempre chega ao consultório sob tensão ou repleto de expectativas.  “Seu contato inicial será com a recepcionista ou com a secretária, responsáveis pela impressão que ele estabelecerá do médico que ainda nem conheceu. Por isto, quem está na linha de frente, quem lida com o paciente, precisa estar muito bem treinado e motivado. Este profissional deve gostar do seu trabalho e de lidar com o público. Discutir a gestão dos pacientes e a excelência no atendimento são necessidades prementes dos consultórios e das clínicas médicas hoje”, diz


Workshop aborda a importância de atender bem o paciente. Consultora aponta as situações que são gatilhos de estrese para o paciente na sala de espera


Numa época em que os consultórios e clínicas não podem dispensar pacientes, as secretárias e recepcionistas se tornaram peças fundamentais para o bom funcionamento do negócio.

“E o que não pode ser deixado de lado é a qualificação dessas profissionais. É preciso que as funções da recepcionista e da secretária – muitas vezes, uma única pessoa desempenha as duas funções – sejam muito bem definidas. A preparação de uma boa secretária começa logo na seleção. E após a seleção, é importante que a profissional participe de cursos interpessoais e de seminários de capacitação profissional, onde aprenda a lidar com as características do mercado onde irá trabalhar”, afirma a consultora Márcia Wirth, que ministrará o Workshop Aumentando a Eficiência de Secretárias na Gestão de Clínicas e Consultórios, o evento acontece no dia 26 de maio, na capital paulista, como parte integrante da programação paralela da Jornada Paulista de Cirurgia Plástica.

Não adiantam todos os esforços de marketing, se ao ligar para marcar a consulta uma consulta o paciente se deparar com uma secretária despreparada. “Vamos imaginar a seguinte cena: o paciente apresenta-se na recepção da clínica. Após esperar alguns minutos, uma secretária mal humorada o leva até a sala de espera, onde ele tem que aguardar mais um pouco. Quando ele entra na sala do médico, já tem em mente uma impressão nada agradável deste profissional… Correto? Em quase 100% dos casos, sim. Todos nós, quando nos tornamos pacientes, procuramos mais do que uma consulta ou um medicamento. Queremos um ótimo consultório, num ótimo lugar, muito bem equipado, mas gerido e operado por seres humanos. Aprender a lidar com os pacientes, que são clientes com características próprias, é um diferencial no atendimento de consultórios e clínicas”, defende Márcia Wirth.

Situações que são gatilhos de estresse na sala de espera:

·         Paciente irritado com atraso na consulta e sem feedback apropriado da recepcionista/secretária sobre o seu horário de consulta;
·         Impaciência durante a espera pelo atendimento que não é amenizada, pois a sala de espera não é preparada adequadamente para acomodá-lo confortavelmente e ele fica cada vez mais impaciente;
·         Por chegar antes do horário marcado, o paciente deseja ser atendido antes do paciente que chegou depois dele, todavia, este segundo paciente está no horário correto dele. Ou seja, o primeiro paciente mencionado não tem clareza sobre os critérios de agendamento de consultas (É horário? É chegada? É a amizade com a secretária?);
·         Banheiros mal higienizados, malcheirosos, sem papel toalha, sem papel higiênico, com os cestos de lixo abarrotados, com os espelhos manchados e respingados de água;
·         Temperatura e som ambiente da sala de espera inadequados. A sala de espera deve ser preparada em função das necessidades do paciente. O ar condicionado, a televisão, a música, todos os elementos externos que interferem na espera devem ser ajustados em função do conforto do paciente;
·         Dificuldades para estacionar. Consultórios e clínicas devem contar com serviços de manobrista e valet. Parcerias para oferta de cortesias e descontos devem ser firmadas pelos consultórios e clínicas;
·         Qualidade do café, do chá, da água e do café da manhã (caso de laboratórios de exames clínicos) ofertado aos pacientes. Nenhum estabelecimento comercial é obrigado a oferecer nada a seus clientes, mas se a opção for por oferecer, é necessário optar por produtos de qualidade, para evitar que a cortesia se transforme num outro problema de atendimento que deponha contra o negócio;
·         Ausência de revistas (novas e de interesse do público) à disposição dos pacientes, bem como a não disponibilização de uma senha de WI-FI destinada exclusivamente aos pacientes.


Importância do treinamento

Márcia Wirth destaca que o paciente sempre chega ao consultório sob tensão ou repleto de expectativas.  “Seu contato inicial será com a recepcionista ou com a secretária, responsáveis pela impressão que ele estabelecerá do médico que ainda nem conheceu. Por isto, quem está na linha de frente, quem lida com o paciente, precisa estar muito bem treinado e motivado. Este profissional deve gostar do seu trabalho e de lidar com o público. Discutir a gestão dos pacientes e a excelência no atendimento são necessidades prementes dos consultórios e das clínicas médicas hoje”, diz

Medicamentos vencidos são encontrados em sala da Secretaria de Saúde de Parobé


jornal de saude
Atualização assim que ocorre 23 de maio de 2016

NOTÍCIAS


Panorama

jornal de saude
Atualização assim que ocorre 23 de maio de 2016

NOTÍCIAS


Panorama
Medicamentos vencidos são encontrados em sala da Secretaria de Saúde de Parobé
O vereador Picucha disse ao Jornal Panorama que foi acionado, por meio de ... O vereador disse uma funcionária da Secretaria de Saúde chegou a ...
Google Plus Facebook Twitter Sinalizar como irrelevante
O vereador Picucha disse ao Jornal Panorama que foi acionado, por meio de ... O vereador disse uma funcionária da Secretaria de Saúde chegou a ...
Google Plus Facebook Twitter Sinalizar como irrelevante

Glaucoma é a principal causa de cegueira irreversível no mundo

Glaucoma é a principal causa de cegueira irreversível no mundo

Paciente deve fazer consultas oftalmológicas anuais de rotina que incluam a medida da pressão intraocular e exame de fundo de olho



Belo Horizonte, maio de 2016 - O glaucoma é o principal responsável por casos de cegueira permanente em todo do mundo. Apesar de as estimativas apontarem que cerca de 2% da população brasileira que já passou dos 40 anos tenha algum tipo de glaucoma, a Associação Mundial de Glaucoma acredita que esse número possa ser até 50% maior, uma vez que a doença é assintomática.
O glaucoma é uma lesão no nervo ótico, causada principalmente pela alta pressão dentro do globo ocular. Como o nervo óptico é o responsável por levar os impulsos visuais até o cérebro, se não tratada prematuramente, a doença pode comprometer a visão.
O que torna o glaucoma tão perigoso é justamente o fato de ser assintomático no início, condição que pode explicar a demora do paciente em procurar tratamento. Uma pesquisa recente da Associação Brasileira de Glaucoma revelou que 80% dos brasileiros com o problema só procuram o oftalmologista depois de já terem sofrido algum dano irreversível.
Esse foi o caso do advogado Ito de Souza Vieira, 75. “Passei quatro ou cinco anos sem ir ao oftalmologista. Quando o procurei para fazer uma cirurgia de catarata, descobri o glaucoma”, explica. Ele conta que já perdeu campo de visão, " minha visão periférica é borrada" comenta o advogado.

Apesar de ter uma irmã portadora do glaucoma,  Ito Vieira nunca imaginou que pudesse desenvolver a doença também. “Vivi anos com ele (glaucoma) e nunca senti nada de diferente nos olhos. Além disso, não percebi logo a perda da visão, pois a catarata mascarava um pouco o problema”, afirma.
Mas o fato de ter um familiar com o problema já é motivo de alerta, segundo a oftalmologista Daniela Silveira de Faria, oftalmologista do departamento de glaucoma do Centro Oftalmológico de Minas Gerais (COMG). O histórico familiar é um dos fatores de risco para a doença.

Além disso, o paciente deve ficar ainda mais atento caso tenha idade avançada, seja de raça negra, tenha alto grau de miopia e tenha pressão do olho elevada. “Esse último (pressão) é o único fator sobre o qual podemos interferir de alguma forma”, comenta a médica.

Como as lesões causadas no nervo óptico pela hipertensão intraocular são irreversíveis, o melhor caminho é o diagnóstico precoce do problema para que haja o início imediato do tratamento para controle da doença. “A pessoa deve fazer uma consulta anual com seu oftalmologista na qual devera ser  realizado sempre exame de fundo de olho e a medida da pressão ocular”, recomenda Daniela. Esses exames são feitos pelo próprio médico no consultório, são procedimentos rápidos e indolores.

Caso seja diagnosticado glaucoma, o controle normalmente é feito com colírios. “Hoje em dia, o colírio já é parte da minha rotina. Uso diariamente, pela manhã e à noite”, conta  Ito Vieira. Para os casos em que a medicação não adianta, há ainda procedimentos à laser e cirurgia. “Mas os casos cirúrgicos são  mais raros atualmente”, garante a doutora.

Começa 69ª Assembleia Mundial da Saúde com representantes de 169 países


jornal de saude
Atualização assim que ocorre 23 de maio de 2016

NOTÍCIAS


D24am.com


jornal de saude
Atualização assim que ocorre 23 de maio de 2016

NOTÍCIAS


D24am.com

Começa 69ª Assembleia Mundial da Saúde com representantes de 169 países
A 69ª sessão da Assembleia Mundial da Saúde começou nesta segunda-feira (23) em Genebra, na Suíça. A expectativa é que o evento, coordenado ...
Google Plus Facebook Twitter Sinalizar como irrelevante
A 69ª sessão da Assembleia Mundial da Saúde começou nesta segunda-feira (23) em Genebra, na Suíça. A expectativa é que o evento, coordenado ...
Google Plus Facebook Twitter Sinalizar como irrelevante

Jornal de Saúde informa

Férias escolares: momento importante para atualizar a caderneta de vacinação das crianças e adolescentes

Rio de Janeiro, novembro de 2018  – Férias escolares, viagens, família reunida e festas de fim de ano. Além de todas essas comemora...

Jornal de Saúde